Restauração e Requalificação de uso da Estação Ferroviária de Porto Novo passa a ser um fato e não apenas um sonho

Tendo como pano de fundo a Estação Ferroviária de Porto Novo, parte da equipe de profissionais envolvidos no projeto de Restauração e Requalificação de uso da Estação Ferroviária de Porto Novo (as arquitetas Débora Fouraux e Nayara Borela), o diretor do Museu de História e Ciências Naturais, professor André Martins Borges, e os representantes das empresas que participaram da restauração da Estação Ferroviária de Simplício.

O grupo de profissionais envolvidos no projeto de Restauração e Requalificação de uso da Estação Ferroviária de Porto Novo (Débora Fouraux – Arquiteta; Nayara Borela – Arquiteta; Ricardo Ottero – Engenheiro), coordenado pelo diretor do Museu de História e Ciências Naturais, professor André Martins Borges, esteve reunido no dia 11 de setembro último, na sede do Museu, recebendo a visita de dois representantes das empresas que participaram da restauração da Estação de Simplício – empresas Rio Grande Engenharia e Construções Ltda. (Aníbal N. F. Andrade Bichuette) e Século 30 Arquitetura e Restauro Ltda. (arquiteta Zica), que estiveram conversando com a equipe e, na ocasião, apresentaram seus currículos em projetos desta envergadura, bem como contribuíram em informações técnicas para atual fase do projeto.

O projeto de Restauração e Requalificação de uso da Estação Ferroviária de Porto Novo já foi apresentado pelo Museu de História e Ciências Naturais à Superintendência do IPHAN/MG, tendo sido foi aprovado pelo órgão. Atualmente estão sendo elaborados os projetos Executivos que, tão logo estejam prontos, darão à equipe reais condições de saber o custo total da obra. O projeto está dividido em etapas e anos, sendo que na sua primeira etapa estão previstas a manutenção do escoramento do prédio, que foi um dos objetivos da reunião, e a instalação de uma “sobrecobertura” para a proteção do prédio contra infiltrações e outros danos causados pelas chuvas. Vale ressaltar, ainda no mês de setembro as empresas estarão apresentando seus orçamentos para que a equipe responsável pelo projeto possa dar andamento no cadastramento da primeira etapa na Lei Rouanet.

Ainda não existem datas para o início do projeto, informou o diretor do Museu, que agora depende da aprovação junto aos mecanismos de incentivo à cultura do Estado de Minas Gerais e do Governo Federal. Entretanto, cabe ressaltar, até então existiam propostas de projeto e plantas, realizadas em diversos períodos e por diferentes prefeitos e instituições, mas esta é a primeira vez que de fato o município de Além Paraíba possui um projeto aprovado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Na semana seguinte ao encontro, em parceria com o curso de Administração de Empresas da Fundação Educacional de Além Paraíba, foi iniciada a elaboração do Plano de Negócios, o que contribuirá para a viabnilização do projeto de Restauração e Requalificação de uso da Estação Ferroviária de Porto Novo.