Três carretas tanque e 11 detidos por roubo de petróleo em Quissamã (RJ)

Alemparaibanos estão entre os detidos pelas polícias Militar e Civil do Estado do Rio de Janeiro e Guarda Municipal de Quissamã.

Os suspeitos detidos por furto de óleo de dutos da Petrobras, em Quissamã (RJ).  Entre eles seriam cinco alemparaibanos cujos nomes não foram revelados pelas autoridades policiais.(Foto: Polícia Civil RJ)

Onze pessoas foram detidas na semana passada (17) furtando óleo de dutos da Petrobras em Quissamã, no Norte Fluminense. De acordo com a Polícia Militar, o caso aconteceu na Estrada das Palmeiras, onde duas carretas foram apreendidas transportando o produto.

Segundo a PM, os agentes flagraram ainda um grupo em outra carreta furtando o óleo. Outros três carros também foram apreendidos. O caso foi registrado na 130ª Delegacia de Polícia.

Por meio de nota, a Transpetro informou que foi acionada e que equipes da companhia acionaram os órgãos de segurança pública, que foram imediatamente para o local e isolaram a área. A empresa disse que todas as medidas necessárias para garantir a segurança da comunidade estão sendo adotadas e afirmou que não houve vazamento.

A Transpetro ainda ressaltou que é vítima das ações criminosas de furto de óleo e derivados, que colabora com as investigações das autoridades e tem como maior preocupação a segurança das famílias, pois intervenções criminosas nos dutos podem trazer riscos para a comunidade, como incêndios, explosões, vazamentos, poluição e contaminação de áreas ambientalmente sensíveis.

A Transpetro informou que a colaboração e o engajamento dos moradores vizinhos aos dutos são muito importantes para minimizar o perigo que todos correm com esses atos criminosos. A empresa disse que mantém um canal de denúncia pelo número 168. Segundo a empresa, o anonimato é garantido, a ligação é gratuita e o telefone funciona 24 horas por dia, sete dias por semana.

A Transpetro afirma que todos os moradores podem entrar em contato caso identifiquem qualquer movimentação suspeita na faixa de dutos e em terrenos próximos, como pessoas ou veículos pesados trabalhando próximo às áreas das tubulações ou cheiro forte de combustível.

A companhia disponibiliza também o número (21) 999920-168, pelo qual o morador pode contribuir enviando imagens e vídeos.

Mais dados do caso

A operação que resultou na prisão em flagrante de 11 envolvidos e a apreensão de três carretas e mais uma pick-up Amarok, por furto ao gasoduto, quando extraía petróleo no município de Quissamã (RJ), na região da comunidade de Machadinha e São Miguel, na semana passada (17), indica que pelo menos dois dos integrantes são da própria cidade. Cinco seriam de Além Paraíba, quatro identificados oficiosamente pelos pré-nomes Marcelo, Buiú, Matheus de Jhonny.

Na camionete utilizada em apoio, os policiais encontraram ferramentas utilizadas para a prática do crime. Tudo foi levado para a delegacia. Uma das carretas ainda estava vazia, as outras duas, segundo os motoristas detidos, transportariam 40 mil litros de petróleo para o refino. A Polícia Civil escutou todos os envolvidos, e já teria informações da localização de onde o produto seria refinado.

Ainda segundo a Polícia Civil, os criminosos agiam sempre em áreas rurais, estradas desertas, abrindo buracos no terreno até encontrar os dutos, geralmente enterrados a quase 2 metros de profundidade, e dão início a uma operação arriscada. Perfurando os dutos de alta pressão, eles conseguem levar o petróleo até um caminhão-tanque. O método é chamado de trepanação. Essa trepanação é realizada com uma válvula específica para conter a pressão que quando contida é possível retirar o combustível de uma forma que ele possa encher o caminhão. A partir daí os criminosos levam o material para uma refinaria.

A ocorrência desencadeou uma série de investigações a respeito do roubo do petróleo, que certamente possui uma rede clandestina para funcionar.

Os veículos e materiais apreendidos pelas autoridades policiais. (Fotos: Jornal 8)

Fontes: G1 e Jornal 8 / Fotos: Jornal 8 e Polícia Civil do Rio de Janeiro.

(Publicado na edição 1072, de 23/10/2019)