Os interventores da redemocratização – 1945/1947

A deposição do ditador Getúlio Vargas, em  outubro de 1945, implicou a remoção dos interventores designados por ele nos Estados. Em Minas, terminou o reinado de doze anos de Benedito Valadares.Enquanto se criavam novos partidos e se reparavam as eleições para os governos estaduais, realizadas em janeiro de 1947, o presidente da República interino, ministro José Linhares, começou a nomeação de interventores para a transição. No caso de Minas, foram cinco, nomeados por Linhares ou pelo presidente Eurico Gaspar Dutra, eleito em dezembro de 1945. Cada um deles ficou poucos meses cuidando dos negócios mineiros. Foram eles: Nísio Batista de Oliveira, João tavares Correia Beraldo, Júlio Ferreira de Carvalho, Noraldino Lima e Alcides Lins.

Nísio Batista de Oliveira

Nasceu em Juiz de Fora, em 07 de julho de 1889. Morreu em Belo Horizonte, em 09 de dezembro de 1960. Advogado formado pela Faculdade Livre de Direito do Rio de Janeiro, em 1911. Delegado de Polícia em Formiga. Promotor de Justiça em Juiz de Fora. Procurador-geral do Governo de Antônio Carlos. Desembargador a partir de 1930, presidente do Tribunal de Justiça entre 1939 e 1958. Nessa condição foi designado o primeiro interventor da redemocratização, em 29 de outubro de 1945, por decisão do ministro José Linhares.

João Tavares Correia Beraldo

Nasceu no distrito de Santana do Sapucaí de Pouso Alegre, hoje Silvianópolis, em 20 de fevereiro de 1891. Morreu em Juiz de Fora, em 17 de março de 1960. Cursou a Faculdade Livre de Direito de Minas Gerais e a Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, pela qual se formou em 1916. Advogado, vereador, presidente da Câmara e prefeito de Pouso Alegre. Deputado estadual de 1934 a 1937. Juiz de Direito em Cabo Verde, São Gonçalo do Sapucaí e Cambuí. Secretário do Interior de agosto de 1940 a maio de 1941. Nomeado em seguida para a diretoria do Banco de Crédito Real, licenciou-se em fevereiro de 1946, para substituir Nísio Batista de Oliveira, nomeado pelo recém-empossado presidente Dutra. Deixou a interventoria em agosto e retornou à diretoria do Banco de Crédito Real, do qual foi presidente.

Júlio Ferreira de Carvalho

Nasceu em 28 de janeiro de 1984, em São Tiago. Morreu em 22 de outubro de 1962, em Belo Horizonte, Formado pela Faculdade Livre de Direito de Minas Gerais em 1915. Advogado e professor em São João del Rei. Promotor em Estrela do Sul. Advogado em Belo Horizonte. Procurador da Justiça Eleitoral de 1932 a 1937. Chefe do Serviço Jurídico do Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Comerciários de 1941 a 1946. Nomeado interventor em Minas pelo presidente Dutra em agosto de 1946, deixou a função em novembro, para candidatar-se a deputado estadual. Ao fim do mandato de deputado, foi advogado-geral do Estado, advogado do Banco Mineiro da Produção e professor da Faculdade de Direito da então Universidade Católica.

Noraldino de Lima

Nasceu em São Sebastião do Paraíso, em 12 de janeiro de 1885. Morreu no Rio de Janeiro, em 30 de novembro de 1951. Formado em Farmácia em Juiz de Fora, em 1910. Formado em Direito em Belo Horizonte, em 1914. Funcionário público na prefeitura de Belo Horizonte e no governo estadual até 1919, quando tomou posse como deputado estadual (havia ficado como suplente nas eleições do ano anterior). Diretor da Imprensa Oficial e redator-chefe do Minas Gerais. Secretário da Educação no fim do governo Olegário Maciel, permaneceu no cargo nos poucos meses da interventoria de Gustavo Capanema e nos primeiros meses da interventoria de Benedito Valadares. Deputado federal de 1935 a 1937. Diretor do Departamento Nacional do Café. Interventor em Minas por um mês, de 14 de novembro a 18 de dezembro de 1946. Elegeu-se em seguida deputado federal, mas logo renunciou, para assumir uma diretoria da caixa Econômica Federal, da qual chegou a ser vice-presidente.

Alcides Lins

Nasceu em Ouro Preto, no dia 0 de maio de 1891. Morreu no Rio de Janeiro, em 09 de novembro de 1969. Engenheiro formado pela Escola de Minas de Ouro Preto. Diretor da Rede Sul Mineira de Viação, do Loyde Brasileiro e do Departamento Estadual de Viação e Obras Públicas. Prefeito nomeado de Belo Horizonte de novembro de 1929 a setembro de 1930. Secretário das Finanças na interventoria de Benedito Valadares, de dezembro de 1932 a fevereiro de 1934. Era diretor da The Leopoldina Railway em dezembro de 1946, quando o presidente Dutra o nomeou interventor em Minas. Coube a Alcides Lins passar o governo ao eleito Milton Campos, em 19 de março de 1947.