Geraldo Coutinho Brum

Geraldo Coutinho Brum.

Nas primeiras horas da manhã do dia 22 de agosto de 1917, na propriedade rural denominada Fazenda Vargem Alta, na localidade de Formiga, em São Sebastião da Estrela, hoje Estrela Dalva, pertencente ao Cel. Augusto Coutinho Brum, sua esposa Maria começava a sentir as dores do parto. Cercada das atenções do amado esposo e de dedicadas parteiras, à tardinha ela dava a luz ao quarto filho do casal, um pequeno garoto de olhos claros que recebeu o nome de Geraldo.

O garoto cresceu, cercado da liberdade do campo de toda a atenção e carinho junto dos irmãos Arino, Climério, Sebastião, José, João, Ermelinda, Rosária, Jovelina, Custódia, Angelina, Horaida e Adalgisa, iniciando o aprendizado às primeiras letras através da professora Celita Abreu. Com 12 anos, foi enviado para Além Paraíba, onde foi estudar, no internato do Gymnásio Além Paraíba, onde se formou Técnico Contábil.

Homem feito e já formado, Geraldo conheceu Jandira Medeiros Duarte, nascida em 08 de outubro de 1918, filha do comerciante Eduardo Duarte e de Maria Amélia Medeiros Duarte. Em 16 de junho de 1941, casaram-se e tiveram os seguintes filhos: Heberth, casado com Ana Maria de Oliveira Brum; Hélcio José, casado com Telma Lúcia Taranto Brum; Carlos Odir, casado com Ângela Castro Netto Brum; Vera Lúcia, casada com Lafayete Marcus Luiz da Cunha; Geraldo, casado com Ângela Gonçalves Brum; e Eduardo Augusto, casado com Maristela Citrângulo Paredes Brum.

Geraldo Coutinho Brum trabalhou como fiscal do IAPTEC e depois como Coletor Estadual, aposentado-se como chefe da Coletoria Estadual de Além Paraíba. Pelos idos de 1950, adquiriu de Inocente Garcia, junto com o irmão Arino, a Fazenda do Palmital, posteriormente adquirindo a parte do irmão. Seu espírito empreendedor, aliado a honestidade e competência, o alçaram à condição de grande líder junto à comunidade rural de Além Paraíba e região, tendo sido presidente da Cooperativa dos Produtores de Leite de Além Paraíba por longos anos e conselheiro da CCPL, nunca deixando de dar apoio ao Sindicato Rural alemparaibano.

Sempre preocupado com as coisas de Além Paraíba, jamais deixou de atender os chamados para apoiar ou prestar seus serviços a diversas entidades alemparaibanas, como o Hospital São Salvador, onde foi provedor, e a Irmandade do Santíssimo, onde foi membro atuante. Construiu e foi o proprietário de Posto GB, hoje Posto Gauchão (Brock), às margens da BR-116, próximo à localidade de São João. Na área política foi Intendente de Santo Antônio do Aventureiro.

Em 25 de setembro de 1966, juntamente com outros vinte e sete alemparaibanos, fundou o Lions Clube de Além Paraíba, clube de serviços que presidiu no biênio 1973/74 e a quem sempre teve um carinho muito especial.

Geraldo Coutinho Brum sempre foi um homem de gestos simples, amigo, preocupado com o bem estar dos mais necessitados. Inúmeras entidades alemparaibanas de assistência aos menos favorecidos pela sorte tiveram o seu apoio quando necessitavam e a ele recorriam. Desconhecia a palavra “NÃO” e sempre fez questão de frisar que as palavras mais belas da língua portuguesa eram amor, amizade, fraternidade e solidariedade.

Em 29 de agosto de 1999, aos 82 anos de idade, Geraldo Coutinho Brum, um homem que deixou como legado aos seus familiares, amigos e toda a comunidade um grande exemplo de cidadania, faleceu vítima de um enfarto.

(Publicado na edição 344 do jornal Além Parahyba / Texto de Flávio Senra / Foto: arquivo da família.

Geraldo Coutinho Brum com a esposa Jandira, filhos, noras e genro.
Geraldo Coutinho Brum e a esposa Jandira.