População alemparaibanao, apesar de promessas formalizadas em 2011, continua sendo penalizado por serviços não prestados pela COPASA

Recorte do jornal A Cidade, de dezembro de 2011, onde foi salientado que Além Paraíba teria seu esgoto tratado até 2015.

Em 11 de novembro de 2011, durante audiência pública realizada na Câmara Municipal de Além Paraíba que contou com a participação do então prefeito, hoje vereador, Wolney Freitas e técnicos da Companhia de Saneamento de Minas Gerais – COPASA, ficou acordado que a partir daquela data, num prazo de três anos, todo o esgoto alemparaibano seria tratado antes de ser lançado ao Rio Paraíba do Sul. À ocasião, ficou também acertado que somente após a conclusão das obras a população começaria a pagar a Taxa de Esgoto.

Em entrevista ao jornal A Cidade, que circulou em dezembro de 2011, Wolninho salientou que aquele serviço era uma obrigatoriedade de todos os prefeitos brasileiros, tendo afirmado que o custo para o cidadão seria de 40% do valor de suas contas. “Mas o benefício compensa, pois com o tratamento do esgoto as famílias ficarão menos doentes e consequentemente gastarão menos”, disse o então prefeito ao repórter Sidinei Silva.

À ocasião, segundo os técnicos da COPASA o projeto estava previsto para ser concluído em três anos e só começaria a ser cobrado quando as obras nos bairros fossem sendo concluídas. Terminada as obras de determinado bairro, o munícipe começaria a receber a cobrança e assim sucessivamente. Segundo o então prefeito Wolninho ao repórter Sidinei Silva, a COPASA havia realizado um levantamento em que mostrava que 75% da população sofreria um aumento de no máximo R$ 20,00 em suas contas, o que, segundo ele, era um valor pequeno se comparado ao benefício que seria concedido.

Hoje, passados oito anos da audiência pública, tudo o que foi prometido não passa de balela, conversa para boi dormir. O trabalho em parte foi realizado, mas o esgoto de Além Paraíba continua sendo lançado in natura ao Rio Paraíba do Sul, isto sem contar que a cobrança da taxa de esgoto, já discutida junto a duas gestões consecutivas do Executivo e do Legislartivo Municipal e até levadas ao Ministério Público e ao Poder Judiciário, continua vitimizando a população.

Até quando o povo continuará sendo penalizado pela inoperância e desrespeito da COPASA e dos poderes constituídos? Com a palavra a empresa e as autoridades, todas, de Além Paraíba…

(Edição 1078, de 11/12/2019)