Adolescente de 13 anos é vítima de estupro e assassinato em Cataguases

Homem é preso, confessa o crime e comete suicídio dentro da cela. Cataguases e região reagem ao bárbaro assassinato da adolescente Ana Clara.

A adolescente Ana Clara Nunes Chagas, de apenas 13 anos, vítima da violência que deixou Cataguases e toda região em estado de choque pela sua monstruosidade.

Uma garota de apenas 13 anos, residente no Bairro Sol Nascente, em Cataguases foi assaltada, estuprada e morta dentro da própria casa por volta das 14 horas do dia 09 de fevereiro. Um homem de 53 anos de idade, foi preso, cerca de vinte minutos depois, pela Polícia Militar, em Sereno, distrito de Cataguases, e após ser reconhecido por testemunhas assumiu o crime. Um clima de revolta tomou conta da vizinhança que chegou ameaçar linchá-lo, mas os policiais o levaram diretamente para a Delegacia Regional de Polícia em Leopoldina onde prestou depoimento.

Segundo explicou em vídeo para o Site do jornalista Marcelo Lopes, o tenente Wesley José de Oliveira, comandante do policiamento na cidade naquela data, o autor confessou o roubo, o estupro e o homicídio. Segundo ele disse aos militares, entrou na residência da adolescente – que estava sozinha em casa – pelo imóvel ao lado e lá dentro roubou o celular dela que foi identificada como sendo Ana Clara Nunes Chagas, e alguns objetos de menor valor. Antes de ir embora, ele estuprou a garota e, em seguida a teria matado por estrangulamento, fugindo em seguida. O tenente Wesley disse que o autor, identificado como José Antônio Felizardo, tem passagens pela polícia por roubo com ocorrências em Santana de Cataguases e Dona Eusébia.

A perícia técnica da Polícia Civil esteve no local e fez os exames de praxe para apurar como o crime aconteceu, valendo ressaltar que foi confirmado o estupro e a morte da garota por estrangulamento. Testemunhas também foram ouvidas e a ocorrência segue aberta. Todo o efetivo da PM em Cataguases foi mobilizado para atender este chamado que culminou na prisão do autor em cerca de vinte minutos, conforme revelou tenente Wesley. O major Willian Machado, comandante da Companhia de Polícia Militar, também supervisiona pessoalmente o caso que abala toda a cidade.

Cataguases e região reagem ao bárbaro assassinato da adolescente Ana Clara

Cataguases amanheceu de luto no dia 10 de fevereiro, por causa do crime bárbaro que tirou a vida da adolescente Ana Clara Nunes Chagas, de apenas 13 anos de idade. O roubo, seguido de estupro e morte da garota dentro de sua própria casa, deixou os cataguasenses em estado de choque pela sua monstruosidade.

Não há na história recente do município caso semelhante, pelo menos que tenha chegado ao conhecimento público. A prisão imediata do autor, graças a atuação eficiente do policial militar da reserva, sargento Márcio Nunes, ameniza um pouco o sofrimento de todos que conviviam com a vítima e reforça as esperanças no trabalho da justiça.

As reações a esta barbaridade estão ocorrendo desde o início da noite do dia 09, data do crime e logo após o estado de choque que acometeu todos os cataguasenses. O primeiro a se manifestar foi o prefeito Willian Lobo de Almeida, amigo da família de Clarinha, que decretou luto oficial de três dias no município, lamentou o ocorrido e, por fim, pediu orações para a vítima e toda a família, em vídeo publicado nas redes sociais.

A Diocese de Leopoldina divulgou Nota de Pesar pela morte da adolescente que frequentava o grupo de jovens EAC – Encontro de Adolescentes com Cristo – da Matriz Nossa Senhora do Rosário. A nota denomina o ocorrido como “tragédia” e se “solidariza com os familiares e amigos neste momento de dor e saudade”, destaca o texto que informou também o local onde acontecia o velório (Capela de São Cristovão) e o horário do sepultamento, que aconteceu na dia seguinte da tragédia.

A Câmara Municipal de Cataguases, através de seu presidente, vereador Ricardo Dias, informou ao jornalista Marcelo Lopes que a instituição divulgou uma Nota de Pesar sobre o ocorrido e que ia propor uma Moção de Pesar conjunta de todos os vereadores pelo falecimento de Ana Clara.

O deputado estadual por Cataguases, Fernando Pacheco, também se pronunciou no começo da tarde sobre a tragédia. Em uma postagem em sua página oficial no Facebook, ele disse ser preciso “enfrentar e dar um basta em todas as formas de violência contra as mulheres.” Em seguida lamentou “profundamente a morte da jovem Ana Clara, vítima de um crime bárbaro”, afirmou. O deputado prestou solidariedade à família dela e fez um apelo por união. “Vamos unir Cataguases, por Ana Clara, pelas jovens e pelas mulheres. Chega, não dá mais, temos que nos unir…”, disse Fernando Pacheco.

Por fim, um grupo de pessoas organizou o que foi chamado de “Caminhada das Famílias” contra os abusos e agressões sofridos por Ana Clara. De acordo com Rafaela Nobre de Carvalho, uma das organizadoras da iniciativa, o objetivo foi dizer não à violência. A caminhada aconteceu no último sábado (15), com concentração na Pracinha do Bahamas. A maioria das pessoas que participou o evento usou roupa preta.

Assassino comete suicídio

José Antônio Felizardo, o monstro assassino que estuprou e assassinou uma adolescente de 13 anos na cidade de Cataguases, um crime que abalou toda região, comete suicídio.

O assassino confesso da adolescente Ana Clara Nunes Chagas foi encontrado morto no começo da tarde da última quarta-feira (12), na cela que ocupava no presídio de Viçosa. Ele foi transferido para aquele local na tarde um dia antes (11), após ter participado da audiência de custódia no Fórum de Cataguases.

Em virtude da comoção social que o crime obteve na cidade, o juiz responsável pelo caso o encaminhou para Viçosa onde aguardaria o julgamento do caso que hoje está sendo tratado como latrocínio, roubo seguido de morte, mas também por estupro,quando o resultado dos exames no corpo da vítima forem concluídos.

Por volta das 15 horas, José Antônio Felizardo, de 52 anos, foi encontrado morto em sua cela. A causa da morte será investigada por meio de um inquérito policial, conforme informou a fonte ouvida pelo site do jornalista Marcelo Lopes, mas a suspeita é de que ele tenha cometido suicídio, já que foi encontrado enforcado.

Fonte e fotos: Site do Jornalista Marcelo Lopes – Cataguases

Veiculado na edição 1088, de 19/02/2020.