URGENTE: O COVID-19 CHEGOU EM ALÉM PARAÍBA! E AGORA?





Boletim Epidemiológico n° 23 DE 26/04/2020.

Após a confirmação, na última sexta-feira (24), de que um caso de COVID-19 foi constatado em Além Paraíba, fato divulgado e confirmado pelo prefeito Miguel Belmiro de Souza Júnior e pelo vice-prefeito, também secretário municipal da Saúde, Paulo Henrique Marinho Goldstein de que o contaminado encontra-se em reclusão domiciliar juntamente com seus familiares , a situação se tornou ainda mais preocupante neste domingo (26 de abril), quando pelo Boletim Epidemiológico n° 23, foi revelado que além do caso então confirmado existem outros quatro, todos pacientes no Hospital São Salvador (HSS), dois em isolamento clínico e outros dois na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A situação pode ser considerada de grande gravidade já que o número de infectados pode aumentar, revelou um servidor da área da saúde alemparaibana e, também, do HSS, tendo salientado que o nosocômio poderá não atender como deveria se houver um aumento acentuado de casos devido o número de respiradores ser considerado relativamente baixo em casos de uma pandemia como esta que ora ocorre.

Segundo informações oficiosas, no HSS existem sete aparelhos respiradores, cinco na UTI e outros dois na UI. Com esses números, caso 10 alemparaibanos, e de outros municípios vizinhos que são atendidos pelo nosocômio, necessitem de respiradores o que fará o profissional médico responsável pelo atendimento? Quem ele escolherá para ficar sem atendimento, ficando assim a mercê da sorte, podendo vir a falecer? Qual será o critério para essa escolha? Realmente um problema de difícil resposta para quem prestou, perante seus professores e familiares, o Juramento de Hipócrates!

No vizinho município de Carmo (RJ), com 17.434 habitantes (último censo realizado pelo IBGE), tivemos a informação, posteriormente confirmada, de que o prefeito César Ladeira adquiriu nove respiradores que, somados aos sete existentes no Hospital Nossa Senhora do Carmo, agora oferecem aos seus munícipes 16 respiradores, um para cada 1.089 pessoas. Já em Além Paraíba, com 35.321 habitantes (censo de 2018), em que o Hospital São Salvador possui sete respiradores, o número é de 5.045 pessoas para cada aparelho, isso sem contar que o HSS atende moradores dos municípios vizinhos de Santo Antônio do Aventureiro, Volta Grande, talvez Estrela Dalva, Sapucaia e outros.

Segundo o vereador Rodrigo França ao editor do semanário ALÉM PARAHYBA, Flávio Senra, em caráter de urgência o prefeito Miguel Belmiro de Souza Júnior enviou para a Câmara Municipal, para análise e votação, o Projeto de Lei nº 013/2020, autorizando a municipalidade a gastar até R$ 650 mil, com o objetivo de adquirir equipamentos necessários ao tratamento de pacientes contaminados pelo COVID-19, com recursos de operação de crédito a ser contratado junto ao Banco do Brasil S/A uma vez que o município encontra-se em estado de emergência. O PL será votado em regime de urgência, na condição de reunião extraordinária, e os equipamentos serão destinados ao HSS.

Vale ressaltar, o que não quer dizer que tal fato venha ocorrer em terras alemparaibanas, vem sendo constatado e divulgado pela apelidada grande imprensa (O Globo, Estadão, Folha de São Paulo e outros jornais), de que vários casos de superfaturamento estão ocorrendo de Norte a Sul do Brasil, todos envolvendo a aquisição em caráter emergencial de equipamentos equivalentes aos que a municipalidade alemparaibana pretende e deve adquirir para o atendimento de sua população. Daí as perguntas: 1) Quanto a prefeitura vai pagar por cada equipamento? 2) Quantos respiradores irá comprar?

Um alerta

Desde o início da pandemia do COVID-19, tanto a população quanto a municipalidade alemparaibana parecem que estão vivendo um paraíso dentro do estado de terror que foi provocado pela distante China.

As regras apresentadas nos decretos de lei municipais quase ou em nada tem dado resultado. Pelas ruas, centenas de cidadãos vagueiam por horas sem o uso de máscaras; as filas dos bancos, em especial da Caixa Econômica Federal, são gigantescas e não obedecem o critério de distância estipulado para cada um; nas barreiras, em especial a localizada nas proximidades do Bairro da Saúde, os veículos passam livremente sem a averiguação de  suas procedências; igrejas, em especial algumas evangélicas como a Igreja Mundial, na Vila Laroca, continuam promovendo cultos com ajuntamento de pessoas, o que deveria ser proibido de forma radical; etc.

Até quando isso vai continuar? Com a palavra as autoridades, todas sem exceção, Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público e Polícias Militar e Civil. A nossa parte, da imprensa como um todo, de divulgar e cobrar estamos fazendo…

A sede da Igreja Mundial, na Vila Laroca, mesmo com o COVID-19 a solta continua promovendo seus cultos.
Um retrato da ausência de critérios e o desobedecer aos decretos lei tem sido a fila nos bancos, como na Caixa Econômica Federal.