Operação apura possível crime de corrupção por agentes penitenciários

Ação acontece no presídio de Leopoldina e corre em segredo de justiça.

Agentes policiais e do MP momentos ante da deflagração da Operação Jogo Duplo.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) deflagrou no dia 30 de abril, a Operação Jogo Duplo, objetivando apurar a prática de crimes de corrupção, praticados por agentes penitenciários lotados no Presídio de Leopoldina. Foram expedidos dois mandados de prisão temporária e três de busca e apreensão, os quais estão sendo cumpridos em Cataguases e Leopoldina.

As investigações continuam tendo como foco apurar condutas de agentes públicos e terceiras pessoas, correndo o procedimento sob segredo de justiça, razão pela qual o mérito das investigações e os nomes, por ora, não serão revelados.

A ação foi desencadeada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) Regional de Visconde do Rio Branco e pela Promotoria de Justiça Criminal de Leopoldina, com apoio do Cope (Comando de Operações Especiais) do Departamento Penitenciário de Minas Gerais (Depen-MG), Polícia Militar e Polícia Civil.

Fonte e foto: MPMG e Marcelo Lopes