Meu asco pela grande imprensa…

EDITORIAL

Por Flávio Senra (*)

Infelizmente, tem sido uma regra entre os grandes veículos de comunicação do país, as notícias que nos chegam através de O Globo e suas afiliadas (TV Globo, Globo News, Rádio Globo), Estado de São Paulo, Folha de São Paulo e outros, tem sido no sentido de aterrorizar a população.

 “São ‘x’ brasileiros contaminados pelo Covid-19”; “Morreram ‘x’ brasileiros pelo Convi-19”; “Brasil bate o recorde mundial de contaminados pelo Covid-19 num só dia”, etc., são as manchetes dos jornais e noticiários desses veículos, responsáveis por um dos maiores atos de terrorismo em todo o planeta. E qual o motivo? Simplesmente porque, graças ao ato de um presidente que eles taxam de maluco, porra louca e outros adjetivos, que teve a lucidez de acabar com a mamata que eles desfrutaram durante longos anos com mídias milionárias, de causar vômito.

Ontem, dia 1º de junho, o Ministério da Saúde postou um boletim onde o Brasil registrava 514.849 casos do novo coronavírus e 29.314 mortes. Desse total de casos confirmados, 278.980 (54,2% estavam em acompanhamento, sendo que 206.555 (40,1%) pacientes haviam sido curados.

PERGUNTO: Quando, qual dia e hora, esses apelidados grandes veículos citados e seus jornalistas citaram o número de pacientes brasileiros curados?

RESPONDO: Em momento algum, esses grandes veículos citados e seus jornalistas citaram o número de pacientes brasileiros curados.

Como profissional na área da comunicação, à frente de um pequeno veículo que existe desde 1923, o ALÉM PARAHYBA, me enojo desses “grandes” jornais e seus afiliados. Tenho repulsa de seus profissionais, muitos com seus nomes reverenciados Brasil afora, e não tenho qualquer receio de taxá-los de vendidos, eles sim criadores das fake news que afloram diuturnamente nas redes sociais espalhando a mentira e o pavor junto a nossa gente.

Finalizando, mando um recado ao presidente maluco, porra louca, etc., no sentido de parabenizá-lo por não mostrar medo de enfrentar essa mídia criminosa e carcomida que é chamada de grande. Ela é grande, isto sim, na proliferação da mentira, no praticar o terrorismo contra o povo que democraticamente elegeu um governo diferente dos anteriores, em sair em paz pelas ruas vestindo o verde e amarelo de nossa bandeira, e não portando a suástica, facas, canivetes e barras de ferro como foi mostrado nas ruas de algumas grandes cidades brasileiras.

(*) Flávio Senra é o editor do semanário ALÉM PARAHYBA desde junho de 1993.