quarta-feira, julho 24, 2024
DESTAQUELOCAISNOTÍCIASREGIÃO

Vacinação contra sarampo: 8 milhões de doses ainda não foram aplicadas em MG

Cobertura vacinal em Minas Gerais está em 11,6%, muito abaixo do esperado pela Secretaria de Estado de Saúde; vacinação foi prorrogada até 31 de agosto

Por LARA ALVES | SIGA-NOS NO TWITTER @OTEMPO

Cobertura vacinal em Minas Gerais está abaixo do esperado; vacinação foi prorrogada até 31 de agosto | Foto: FRED MAGNO

Com data inicial de encerramento marcada para acontecer nessa terça-feira (30), a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo precisou ser prorrogada no Brasil inteiro até 31 de agosto em função da baixa cobertura vacinal. Estatística da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) indica que oito milhões de mineiros com idades entre 20 e 49 anos ainda não se vacinaram contra a doença infecciosa que ataca os sistemas respiratório e neurológico. A expectativa era que nove milhões de doses fossem distribuídas até o último dia de junho. Entretanto, até a data, apenas pouco mais de um milhão de mineiros contidos na faixa etária haviam procurado pela imunização.

Apesar dos surtos de sarampo constatados em Minas Gerais nos dois últimos anos, a cobertura vacinal na faixa etária de 20 a 49 anos está em 11,64%, muito abaixo do esperado. Entre janeiro e abril deste ano, sete casos de sarampo foram confirmados no Estado, sendo cinco em Belo Horizonte e dois em Juiz de Fora, na Zona da Mata. A recente circulação do vírus e a baixa cobertura vacinal é uma das preocupações da SES-MG que anunciou nesta semana o início da campanha “Vacina Mais Minas Gerais”. O objetivo do projeto é conscientizar os mineiros sobre a necessidade da ampliação da cobertura vacinal e desmentir notícias falsas que relacionam vacinas com distúrbios e doenças.

Além disso, o Sistema Único de Saúde (SUS) prorrogou o término da campanha de vacinação contra o sarampo em todo o território brasileiro. Agora, mineiros que ainda não buscaram a vacina têm até 31 de agosto para comparecer a qualquer um dos postos de saúde do Estado para receber a dose. A campanha é indiscriminada, o que significa que mesmo aqueles que têm cartão atualizado, precisam se vacinar. A estratégia é uma forma de frear a circulação do sarampo que tornou-se novamente uma ameaça no Brasil em 2018.

Frente o cenário da pandemia de coronavírus, que matou mais de mil pessoas até o momento em Minas Gerais, alguns cuidados se tornaram necessários no momento da vacinação. O Ministério da Saúde pede que as pessoas mantenham uma distância mínima de dois metros nos centros de saúde enquanto esperam pela dose. Outra orientação é que o uso de máscara seja mantido nesses espaços. Pessoas com sintomas respiratórios ou febre não devem procurar pela vacina enquanto eles permanecerem.

Fonte: www.otempo.com.br