COVID-19: Minas investiga quase 300 casos de ‘fura-filas’ de vacinação

Queixas recebidas pela Ouvidoria-Geral do Estado passarão por avaliação e serão encaminhadas aos órgãos competentes. Infratores podem ser punidos.

A Ouvidoria-Geral do Estado (OGE) recebeu, desde 18 de janeiro – quando chegaram as vacinas contra a COVID-19 em Minas Gerais –, quase 300 denúncias de “fura-filas” durante o processo de imunização. Ao todo, mais de 500 queixas foram feitas junto ao órgão.

De acordo com a Ouvidoria, o processo funciona da seguinte forma: as denúncias passam por avaliação e, em seguida, são encaminhadas aos órgãos competentes, como comissões de ética e ao Ministério Público Estadual.

A entidade indicada, então, investiga se houve crimes, como peculato, apropriação e infração de medida sanitária, ou improbidade administrativa.

As penas podem variar entre administrativa, multa ou prisão.

Já foram recebidas pela Ouvidoria 764 manifestações relativas ao processo de vacinação no estado. Dessas, 296 referem-se apenas a “fura-filas” e 219 foram pedidos de informações, reclamações, sugestões e solicitações.

Ao todo, cerca de 200 mil pessoas foram vacinadas em todo o estado, de acordo com o balanço feito pelo governo de Minas.

Fonte: Estado de Minas