Presidente da Copasa vai a Cataguases na próxima semana para conversar com José Henriques

Eles vão tratar sobre a cobrança da taxa de esgoto que penaliza a população. Enquanto isso, em Além Paraíba…

O prefeito José Henriques e o deputado estadual Fernando Pacheco.

Encontrar uma solução para a situação da Copasa em Cataguases é uma das prioridades do atual prefeito José Henriques. Na manhã desta terça-feira, 09 de fevereiro, ele conversou com a reportagem do Site do Marcelo Lopes quando reiterou sua posição contrária à cobrança da taxa de esgoto no município. Na ocasião ele também informou que na próxima semana vai receber em seu gabinete o presidente daquela estatal Carlos Eduardo Tavares de Castro para tratar deste assunto. O encontro é resultado das ações do deputado estadual Fernando Pacheco, que representa Cataguases na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, e também vem atuando de forma incisiva na busca de uma solução que atenda à realidade do município.

Segundo informou José Henriques, no dia 04 de janeiro, “nosso primeiro dia de trabalho, iniciamos várias ações simultâneas a respeito da Copasa, porque minha preocupação sempre foi evitar a cobrança dessa taxa de esgoto”, afirmou. Uma delas explicou, foi pedir o reexame na justiça da liminar de uma Ação Civil Pública que corre na Primeira Vara em Cataguases, desde 2013. De acordo com o prefeito, “esta Ação vinha sendo tratada pelo município sem o devido interesse”, citando como exemplo a realização de uma perícia pela justiça que “sequer teve a presença de um assistente técnico da Procuradoria do Município para acompanhar”, explicou. O pedido de reexame, acrescenta José, “conta com provas sobre a atuação da Copasa no município e assim esperamos obter na justiça a suspensão da cobrança daquela taxa.”

Paralelamente, o deputado Fernando Pacheco vem atuando de forma ininterrupta junto à direção da Copasa, também na busca de uma solução para a realidade do município. Neste sentido, conta, conseguiu agendar para a próxima semana a visita do presidente daquela empresa a Cataguases, para tratar do assunto cobrança da taxa de esgoto no município. “Será a primeira vez – desde o início das obras da Copasa na cidade – em mais de dez anos, que o presidente da empresa virá à cidade”, lembra. Para José Henriques este encontro vai “definir esta situação prioritária nossa, da nossa administração, que é essa questão da taxa de esgoto.” Ele deve acontecer na próxima segunda-feira, 15, mas ainda não está confirmado.

O prefeito completa: “Se a gente romper o contrato com a Copasa hoje, temos um impedimento legal para abrir licitação e colocar outra empresa prestando este serviço em Cataguases. Isso deixaria a população – que já não tem o serviço – mais tempo ainda sem este benefício importantíssimo”, analisa José Henriques.” Ele também explicou que neste momento também fica inviável a prestação deste serviço pelo próprio município, como acontece em Muriaé. “Nós estamos tentando uma saída sem onerar o Estado no futuro, porque a Copasa está cobrando da população, mas também tem um investimento de quarenta milhões de reais no município. O rompimento do contrato acarretaria em multa ao município e é isso o que não queremos”, finaliza o prefeito.

Em Além Paraíba, nada…

Enquanto o prefeito de Cataguases corre atrás do prejuízo que o povo tem levado da COPASA, em Além Paraíba a situação se arrasta desde a gestão do ex-prefeito Wolney Freitas. Passou Volninho, Fernando Lúcio e um mandato inteiro do atual prefeito Miguelzinho, e nada – “Tudo continua como dantes no quartel de Abrantes”, é o que está inserido no dito popular.

Com a palavra a municipalidade alemparaibana, bem como o Legislativo Municipal…