Energisa aposta em manutenção preventiva para melhorar qualidade da energia em Minas Gerais

Subestação móvel, equipes de manutenção com linha energizada (linha viva) e tecnologia de dados permitem identificar necessidades e realizar obras sem incômodo para clientes.

Obras com rede ligada, equipe de linha em campo.

A Energisa realizou mais de 2 mil desligamentos programados na rede elétrica, durante 2020, nas cidades da área de concessão em Minas Gerais. O serviço é preventivo e envolveu a substituição de mais de 380 postes e cerca de 1.950 cruzetas, além da troca de outros componentes. Segundo o gerente de Construção e Manutenção, Victor Rispoli, essas atuações contribuíram para reduzir mais de 150 atendimentos emergenciais de falta energia em comparação com o ano anterior.

 “Assim como qualquer equipamento, os componentes da rede elétrica têm uma vida útil. Substituí-los por novos e mais modernos antes de apresentarem problemas, é fundamental para manter o sistema em operação de forma confiável e segura”, declara Rispoli, lembrando que as manutenções também visam adequar a quantidade de energia disponível e a demanda. “Acompanhamos o desenvolvimento populacional, a economia local e o comportamento social da população. Tudo isso interfere na quantidade de energia consumida. Precisamos atuar para que a qualidade não caia”, completa.

De acordo com Rispoli, tudo é planejado para que o cliente nem perceba a manutenção, mas, em alguns casos, por questões técnicas e de segurança, se faz necessário o desligamento da rede elétrica durante a execução do serviço.  Nesses casos, a Energisa informa os clientes com 72 horas de antecedência por meio do site, cartas, avisos em rádios e/ou carros de som e SMS. O intuito é que os clientes possam se planejar para o intervalo em que a rede elétrica estará desligada.

“Nos avisos são informadas as regiões que receberão a melhoria, hora de início e previsão do horário de finalização do serviço. Caso queira receber o aviso diretamente no seu celular, atualize o cadastro junto à Energisa. Vale destacar que o desligamento da rede elétrica só é adotado quando realmente necessário. A medida serve para dar segurança ao colaborador em campo durante a atuação e ao cliente”, explica.

Caso o cliente queira conferir se sua região está passando por esse processo de melhoria, basta acessar o site www.energisa.com.br e clicar no banner “desligamento programado”. Rispoli lembra que a rede elétrica é aérea e pode ser afetada por ações climáticas ou mesmo acidentes de trânsito. Nesses casos, a manutenção se transforma em emergencial e não há tempo hábil para informar os clientes sobre a necessidade de desligamento da rede. “Nessas situações, tentamos realizar o reparo no menor tempo possível, porém, adotando todas as medidas de segurança para preservar tantos os colaboradores quantos os clientes. Para isso, usamos tecnologias e equipamentos para reduzir o tempo do desligamento”, diz.

Novas tecnologias são constantemente desenvolvidas para minimizar o impacto ou até evitar os desligamentos. A Energisa adota, por exemplo, o mega jumper (dispositivo que permite transpor um trecho isolado da rede elétrica), manobras automatizadas/remotas para transferência de carga, gerador móvel e manutenção em rede energizada pela equipe de Linha Viva. Com a tecnologia e o uso dos equipamentos automatizados, no ano de 2020, foi possível o reduzir a duração dos desligamentos programados em 39%.

Esses profissionais passam por treinamentos diferenciados, como foco em segurança, que os preparam para atuarem com a rede elétrica ligada utilizando equipamentos específicos e capazes de protegê-los. “Eles são especialistas nesse tipo de atuação e com experiência no setor elétrico. Como todos os nossos eletricistas, sabem a importância de seguir cada norma de segurança e da utilização correta dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)”, conclui o gerente.

Fonte e foto: Comunicação Social Energisa