Eduardo e Flávio Bolsonaro se manifestam sobre morte de Major Olimpio

Presidente Bolsonaro não se manifestou, mas cancelou visita ao Congresso.

Os congressistas Flávio e Eduardo Bolsonaro, filhos do presidente Jair Bolsonaro, foram ao Twitter ontem (5ª feira/18) para se manifestar sobre a morte do senador Major Olimpio (PSL-SP), cuja morte foi confirmada pela conta oficial dele no Twitter.

Olimpio tinha 58 anos de idade e estava internado em São Paulo, onde passava por tratamento contra a covid-19. Era líder do PSL no Senado e integrava a frente parlamentar de segurança pública na Casa.

O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) disse que apesar das diferenças com o senador, não torcia pela morte de Olimpio. “Em que pese termos diversas discordâncias, não torço pela morte de ninguém”, escreveu. Em seguida desejou conforto aos entes do senador.

Já o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) desejou conforto aos amigos e familiares.

O presidente Jair Bolsonaro não se manifestou publicamente, mas cancelou uma visita ao Congresso, que estava marcada para ontem., depois da notícia.

Em ato simbólico, o chefe do Planalto iria pessoalmente ao Congresso para entregar duas MPs (Medidas Provisórias) do auxílio emergencial. De acordo com a Secom (Secretaria Especial de Comunicação Social), as MPs serão encaminhadas ainda hoje por vias administrativas.

OLIMPIO X BOLSONARO

Major Olimpio era membro do PSL, mesmo partido em que Bolsonaro se elegeu presidente em 2018. No fim do 1º ano de mandato, porém, rompeu com o partido, causando um “racha” entre os membros da legenda.

No processo de rompimento, integrantes tomaram partes e formaram o que ficou conhecido como a ala bivarista, de apoiadores do presidente da legenda, Luciano Bivar, e a ala bolsonarista, de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Major Olimpio foi um dos principais políticos que manteve apoio a Luciano Bivar.

O senador criticava a condução de Jair Bolsonaro no combate à pandemia e defendia a celeridade na vacinação. Por várias vezes criticou o governo em suas redes sociais.

Em dezembro de 2020, se manifestou a favor do impeachment e Bolsonaro. “Em um país sério, o ministro já teria caído e o presidente sofrido processo de impeachment. Ficaremos na história como o país que negligenciou e riu dos mortos por covid-19”, escreveu.

Fonte: Site Poder 360 / Foto: Reprodução