Ex-prefeito de Carmo (RJ) foi preso pela Polícia Civil por lavagem de dinheiro

R$ 130 mil em espécie foram encontrados enterrados no sítio de César Ladeira.

Ontem (segunda-feira / 29), por volta das 16h30min, foi de muita movimentação na cidade de Carmo (RJ), ocasião em que agentes da 112ª Delegacia de Polícia Civil, liderados pelo delegado Herbert Tavares Cardoso, em ação conjunta com as Promotorias de Justiça de Carmo e Sumidouro, prenderam em flagrante o ex-prefeito Paulo César Ladeira pelo crime de lavagem de dinheiro, bem como por ocultar valores originários de corrupção.

No início da tarde, após intimado para prestar declarações na DP, o ex-prefeito já afirmava que, após deflagração da Operação Chorume, ocasião em que foram presos a vereadora Rita Estefânea Gozzi Farsura, a Faninha, e o ex-secretário municipal de Meio Ambiente Roberto Ribeiro, tinha certeza que seria atingido pelas investigações e que tinha por pretensão esclarecer alguns fatos.

Inicialmente, passou a informar de situações que já eram de conhecimento das autoridades policiais, e, depois de pressionado pelo delegado e representantes das Promotorias de Justiça presentes, admitiu que durante os anos de 2019 e 2020 recebeu propina da empresa Forte Construções, responsável pela coleta de lixo no município carmense, não sabendo informar os valores que achou melhor enterrá-los em sua propriedade rural.

Apesar de certa resistência inicial, foi alertado da necessidade de ressarcir o erário e levar a equipe da 112ª até onde estavam os valores, e como se tratava de uma quantia vultosa, e para que não fossem levantadas suspeitas, uma promotora acompanhou a diligência até o sítio.

Chegando ao local, por volta de 15h30min, foram apontados por César Ladeira dois pontos onde os valores estariam, e após algum tempo de escavação, os agentes policiais localizaram o dinheiro que estava acondicionado em tubos de PVC.

Após contagem, foi apurado que havia R$ 130 mil em espécie, sendo o ex-prefeito autuado pelo crime de lavagem de dinheiro uma vez que, de forma consciente, ocultava valores oriundos de crime (corrupção passiva) com intuito de inviabilizar sua localização. Os valores, segundo as autoridades policiais, eram pagos periodicamente pela empresa corruptora, uma vez que se apurou que o contrato era superfaturado e vereadores também recebiam mesada da empresa com a finalidade de não fiscalizarem o contrato e sua execução.

As investigações seguem em busca de esclarecer os nomes de outros vereadores e alguns secreários envolvidos. O ex-prefeito César Ladeira será transferido hoje (30), para um presídio da capital fluminense.

Fonte: Com informações de Adriano Teixeira / Foto: Reprodução e 112ª DP de Carmo

Legendas: