Rede de Notícias

MG faz repasse para hospitais

Quatro hospitais sediados no Norte de Minas estão sendo contemplados pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais com o repasse de recursos superiores a R$ 385,8 mil destinados ao custeio de leitos de suporte ventilatório pulmonar, ainda não habilitados pelo Ministério da Saúde e demais ações de enfrentamento da pandemia da Covid-19. O repasse dos recursos, em parcela única, está previsto na Resolução 7.479, publicada dia 16 de abril. Para o Norte de Minas são 72 leitos disponibilizados por meio do SUS-Fácil. (Gazeta Norte Mineira – Montes Claros)

Falta de plano “trava” Itaúna

A Câmara de Itaúna colocou a Revisão do Plano Diretor novamente na pauta, o documento está com atraso de quase 3 anos, já que deveria ter sido revisado em 2018. O Plano Diretor (PD) é o planejamento que a cidade deve construir para direcionar o seu desenvolvimento. Sem o PD atualizado uma série de medidas que vão desde a implantação de novas aglomerações urbanas a até mesmo instalação de empresas, ficam paralisados. Com isso, a cidade literalmente para, esbarrada na falta de um direcionamento legal, aprovado pela comunidade e que aponta para onde e como a cidade vai se desenvolver. (Folha do Povo – Itaúna)

Poços de Caldas poderá ter novos leitos

O governo de Minas anunciou que o repasse para financiamento de leitos de UTI por parte do Estado passará a ser de R$ 46 milhões mensais. O financiamento foi comunicado durante reunião com prefeitos das cidades que possuem mais de 100 mil habitantes, consideradas “cidades-polo”, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. De acordo com a assessoria de imprensa da prefeitura, Poços está participando deste incremento em leitos de UTI. Porém, a administração ainda não tem informações sobre a quantidade de leitos ou quando estarão disponíveis. (Jornal Mantiqueira – Poços de Caldas)

Educação é classificada como essencial em Ipatinga

O Projeto de Lei que classifica como essencial os serviços de educação em Ipatinga foi aprovado pelos vereadores da Câmara Municipal de Ipatinga. De autoria do vereador Ney Professor, a proposta justifica que as aulas são preponderantes para o desenvolvimento humano, social, econômico e da cidadania plena. Segundo o vereador, não há nenhuma tratativa de forçar a abertura das escolas nem forçar pais a enviarem seus filhos para as salas de aulas. A vereadora Cida Lima defendeu que não há condições de ofertar aula em sistema híbrido. Votaram contra o PL os vereadores Cida Lima, Fernando Ratske e Mariene. (Diário do Aço – Ipatinga)

MP notifica Prefeituras

A macrorregião Oeste avançou para a Onda Vermelha do plano Minas Consciente A medida foi tomada durante a reunião do Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19. No entanto, antes da decisão ter sido tomada, a macrorregião estava na Onda Roxa e alguns municípios da região já haviam flexibilizado as medidas, como por exemplo Lagoa da Prata, o que não é permitido. Por causa disso, o Ministério Público (MP) por meio da 2ª Promotoria notificou judicialmente a Prefeitura devido a este descumprimento, informando que caso o município continuasse com as flexibilizações na Onda Roxa, poderia sofrer penalizações. (Jornal Cidade MG – Lagoa da Prata)

Servidores recebem valorização

Profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Unisul, Uninorte, Laboratório Municipal, Vigilância Sanitária e Setor de Transporte da Secretaria de Saúde que atuam diretamente no combate à Covid-19 serão contemplados com uma valorização financeira em Araxá. O projeto de lei protocolado pelo prefeito Robson Magela no início deste mês foi aprovado por unanimidade pelos vereadores, na reunião ordinária da Câmara Municipal realizada na terça-feira, 20. Os servidores municipais concursados, contratados, efetivos e estáveis que atuam na prestação de serviços diretamente relacionados com medidas de enfrentamento e tratamento do coronavírus receberão um abono pecuniário de R$ 500 mensais já no próximo vencimento. (Correio de Araxá)

Prefeito de Ipanema tem bens bloqueados

O prefeito de Ipanema e sua esposa tiveram bens bloqueados pela Justiça, no valor de aproximadamente R$ 87 mil, por serem suspeitos de furar a fila da vacinação contra Covid-19. A decisão é do juiz Felipe Ceolin Lirio, da 2ª Vara Cível, Criminal e da Infância e da Juventude da Comarca de Ipanema, que deferiu parcialmente, em 15 de abril, a tutela cautelar de urgência pedida pelo Ministério Público (MP) em ação civil pública de improbidade administrativa. (Diário Tribuna – Teófilo Otoni)