Jovem mata três crianças e duas professoras em creche de Santa Catarina

Após cometer os crimes, rapaz tentou suicídio.

Um jovem de 18 anos invadiu, ontem (4), uma creche na cidade de Saudades (SC) com um facão e matou ao menos três crianças e duas professoras. Uma terceira criança ferida está sob cuidados médicos em um hospital.

A identidade do agressor e os nomes das vítimas não foram confirmados por fontes oficiais. Segundo a Polícia Militar de Santa Catarina, após cometer os crimes, o rapaz tentou suicídio e foi levado a um hospital da cidade de Pinhalzinho.

Policiais militares e servidores da prefeitura ficaram horas no local atendendo à ocorrência. Segundo o subcomandante do batalhão da PM em Chapecó, major Rafael Antônio da Silva, o criminoso foi contido por populares até a chegada dos primeiros policiais e bombeiros.

“Infelizmente, ao chegarem, os bombeiros se depararam com pessoas já mortas, não podendo nem mais conduzi-las ao hospital”, disse Silva à Agência Brasil. O agressor, por sua vez, cortou o próprio pescoço com o facão que usou para atacar a suas vítimas e foi socorrido em estado grave.

De acordo com o subcomandante, ainda não se sabe o motivo do crime. As primeiras informações dão conta de que o rapaz não tem nenhum vínculo com a creche, onde estudam crianças de 6 meses a 2 anos de idade.

“Ele mora na cidade e entrou no estabelecimento portando o facão que usou contra as vítimas. Uma professora e duas crianças morreram no próprio local. Outra professora, gravemente ferida, morreu no hospital e ao menos uma criança ferida está internada”, explicou Silva.

Em entrevista, o delegado Jerônimo Marçal relatou que a Polícia Civil já foi até a casa do autor do crime e que lá teria encontrado “objetos estranhos”. Ele não especificou o que seriam, mas reforça que os agentes trabalham com a possibilidade de que seria um crime isolado.

“Lá [na casa do suspeito] há mais objetos estranhos. Armas, inclusive. O crime está claro, autoria está clara. O que não temos é o motivo que o levou a fazer isso. De qualquer forma, é um motivo torpe. É o que nós vamos descobrir. Nossa maior preocupação é provar que foi um fato isolado. Acreditamos nisso, mas precisamos descartar a possibilidade de que mais pessoas estejam pensando nisso”, afirmou o delegado..

A PM relatou que recebeu “diversos chamados” enquanto o jovem “golpeava alunos e professores”. Forças de segurança e de salvamento do Oeste, incluindo o helicóptero Arcanjo, foram mobilizadas para atender a ocorrência.

Fonte: Por Alex Rodrigues – Repórter da Agência Brasil – Brasília