Copasa inicia o funcionamento da Estação de Tratamento de Esgoto de Cataguases

Enquanto isso acontece, a unidade da Copasa em Além Paraíba, onde a empresa cobra a tarifa de esgoto da população faz vários anos, sequer teve suas obras iniciadas.

A ETE de Cataguases, funcionando desde ontem (quinta-feira / 01 jul)

A Copasa reuniu autoridades e lideranças locais para entregar oficialmente a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Cataguases. A obra é mais um passo no contrato mantido com o município de recolher e tratar todo o esgoto produzido na zona urbana da cidade. Neste sentido, a ETE inicia seu trabalho garantindo atendimento a 70% da população, além do compromisso de ampliar este serviço para 90% dos moradores a médio prazo, conforme salientou o presidente da Companhia, Carlos Eduardo Tavares de Castro.

Desde ontem (02), com a entrada em operação da ETE, o serviço começa a ser prestado de forma definitiva na área urbana do município. Em seu pronunciamento, Carlos Eduardo Tavares reconheceu os erros da empresa no passado recente em Cataguases, mas ressaltou que desde o início de sua gestão “há dois anos, estamos mudando isto e, principalmente, buscando não somente resolver os problemas encontrados como também recuperar o tempo perdido. E estamos conseguindo. Prova disso é a entrega desta ETE cujo investimento foi de R$ 43 milhões”, afirmou. Ele completou dizendo que Cataguases é uma das poucas cidades da Zona da Mata a ter o seu esgoto quase totalmente tratado “e isto reforça o nosso compromisso com esta cidade.”

Carlos Eduardo Tavares de Castro, presidente da Copasa.

A ETE-Cataguases começou a ser construída em janeiro de 2013 e tem capacidade de tratar 120 litros por segundo de esgoto in natura, e pode até triplicar esta capacidade. Além dela, foram construídos 36 mil metros de redes coletoras, 23 mil metros de interceptores e 13 unidades de bombeamento de esgoto, as chamadas elevatórias, que são utilizadas para bombear o esgoto onde não é possível realizar transporte por gravidade. Após a solenidade os presentes conheceram as instalações da ETE e como é o seu funcionamento. (Fonte: Site Marcelo Lopes)

Copasa em Além Paraíba

Enquanto a ETE de Cataguases entra em operação, a tão prometida unidade de Além Paraíba continua no papel e com um agravante: a empresa cobra taxa de tratamento de esgoto de grande parcela da população sem que o serviço seja prestado.

É uma situação desconfortável, isto para não afirmar que o povo alemparaibano vem sendo lesado (ou será que o termo correto não seria ROUBADO?) nas barbas das autoridades, seja do Executivo, do Legislativo e até mesmo do Judiciário e do Ministério Público que estão cientes da situação e já receberam inúmeros reclamos do fato. Vale ressaltar, nas gestões anteriores do Legislativo Municipal de Além Paraíba várias reuniões foram realizadas com gestores da Copasa, sempre com a presença de representantes de associações de moradores e outras entidades que também representam a população, com a Copasa nunca apresentando uma solução para o início das obras que já podiam ter sido concluídas faz longa data já que, pelo andar da carruagem, com o dinheiro arrecadado em taxas de esgoto, acredita-se, pelo menos umas duas ETE’s já teriam sido construídas.

Diante desses fatos, restam apenas duas indagações direcionadas tanto às autoridades alemparaibanas quando a Copasa:

1º) Quando as autoridades vão, de fato, tomar uma providência com relação ao desrespeito com que a Copasa vem tratando a população alemparaibana?

2º) Copasa, quando você vai parar de lesar o bolso da população alemparaibana cobrando por um serviço que não é prestado?