Cidades da região têm saldo positivo de empregos em 2021

Os números são do primeiro semestre e mostram recuperação econômica.

As noves maiores cidades da Zona da Mata e do Campo das Vertentes registraram saldo positivo de criação de empregos no primeiro semestre de 2021. A informação consta no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério da Economia que foi divulgado na semana passada, quinta-feira, 29 de julho.

De acordo com o Governo Federal, os dados informados consideram apenas os trabalhadores com carteira assinada, ou seja, não inclui os informais.

Segundo os números, Juiz de Fora aparece no 1º lugar com melhor desempenho. Durante os seis primeiros meses deste ano, foram 26.097 admissões e 22.980 desligamentos, o que resultou no saldo positivo de 3.117 empregos.

Em seguida, aparece Barbacena com 5.109 contratações e 4.143 demissões. No semestre, a cidade contabilizou um saldo positivo de 966. Cataguases aparece em sexto lugar neste ranking com a criação de 539 novas vagas, que é a diferença entre as demissões e contratações do período.

Veja na tabela que mostra a situação das admissões, desligamentos e o saldo nos seis primeiros meses de 2021.:

Brasil

A economia brasileira gerou 1,5 milhão de empregos com carteira assinada no primeiro semestre deste ano. Ao todo, foram: 9.588.085 contratações; 8.051.368 demissões; saldo positivo de 1.536.717 empregos criados.

No mesmo período do ano passado, o país havia fechado 1,19 milhão de vagas formais de trabalho.

Conforme o secretário-executivo do Ministério do Trabalho e Previdência, Bruno Bianco, o Brasil criou sete novos empregos por minuto nos seis primeiros meses do ano, considerando o saldo líquido (admissões menos demissões).

“Se pegarmos só as admissões, geramos 37 empregos formais por minuto. Isso mostra a força da nossa economia. No ano de 2021, ano marcado pela pandemia, geramos por minuto, no saldo (admissões menos demissões), 7 novos empregos”, ressaltou Bianco.

Metodologia

Os números do Caged são coletados das empresas e abarcam o setor privado com carteira assinada, enquanto que os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são obtidos por meio de pesquisa domiciliar, e abrangem também o setor informal da economia.

Fonte: Site Marcelo Lopes com informações do G1 Zona da Mata e Caged | Foto: Reprodução Internet