Cantor Sérgio Reis e deputado bolsonarista são alvos de operação da PF autorizada pelo STF

Sérgio Reis usou as redes sociais para convocar um ato em apoio ao presidente Jair Bolsonaro.| Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil.

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta sexta-feira (20) uma operação contra o cantor Sérgio Reis e o deputado Otoni de Paula (PSC-RJ), aliados do presidente Jair Bolsonaro. Ao todo, estão sendo cumpridos 29 mandados de busca e apreensão – inclusive no gabinete do deputado na Câmara. Solicitada pela Procuradoria-Geral da República, a operação foi autorizada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

A PF informou que a operação investiga “eventual cometimento do crime de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos Poderes”. ​

Recentemente, Sérgio Reis convocou caminhoneiros promoverem uma grande manifestação “para salvar o país” em apoio a Bolsonaro, que seria realizada na Semana da Pátria, no começo de setembro. Em publicação nas redes sociais, o cantor afirmou ainda que a manifestação será “de paz”, mas que “eles vão se assustar com o movimento”.

Num áudio em que ele conversa com um amigo, também postado em redes sociais, Sérgio Reis defendeu o afastamento dos ministros do STF e fez uma ameaça: “Se em 30 dias não tirarem os caras nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras na marra. Pronto. É assim que vai ser. E a coisa tá séria”. O cantor disse ainda que teria tido uma reunião com o próprio Bolsonaro e com militares das Forças Armadas para informá-los sobre o movimento.

Já o deputado Otoni de Paula havia sido denunciado em 2020 por ofensas a Alexandre de Moraes, chamando-o de “canalha”, “tirano”, “esgoto”, entre outros xingamentos. Ele foi condenado a pagar uma indenização de R$ 70 mil a Moraes.

A PF ainda não divulgou qual é a suspeita envolvendo o deputado para incluí-lo na operação desta sexta-feira. Mas, recentemente, Otoni de Paula subiu à tribuna da Câmara para defender Sérgio Reis das críticas que o cantor recebeu após suas declarações se tornarem públicas.

Além de Sérgio Reis e Otoni de Paula, a operação da PF também teria como alvo um empresário que seria o financiador do movimento.

Fonte: Gazeta do Povo