domingo, fevereiro 25, 2024
BRASIL E MUNDODESTAQUENOTÍCIAS

Família Bolsonaro lança plataforma de formação de novas lideranças para eleições de 2024

Em uma live realizada na noite de ontem, domingo (28), o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e seus filhos Flávio Bolsonaro (PL-RJ), Eduardo Bolsonaro (PL-SP) e Carlos Bolsonaro (Republicanos) anunciaram a criação de uma plataforma de treinamento para candidatos, lideranças locais e apoiadores que desejam participar das eleições municipais em outubro deste ano.

Na transmissão, que chegou a superar os 440 mil espectadores simultâneos em dois diferentes canais do YouTube, o ex-presidente ressaltou a seu público a importância de se eleger vereadores alinhados a seus valores. “O vereador é uma pessoa extremamente importante nos municípios”, disse o ex-mandatário.

Flávio listou dez temas que disse considerar importantes para que os eleitores escolham seus candidatos:

·         Respeito à Constituição;

·         Defesa dos valores da família;

·         Vida desde a concepção;

·         Liberdade de expressão;

·         Defesa da propriedade privada;

·         Legítimo direito à defesa;

·         Diminuição da carga tributária;

·         Liberdade econômica;

·         Defesa da agroindústria; e

·         Combate às drogas.

De acordo com o material de divulgação, o treinamento é destinado a quem deseja “ser eleito em 2024, mesmo sem ter recursos financeiros; atingir sucesso nas redes sociais e impactar pessoas; trabalhar nos bastidores; ser uma liderança local e influenciar pessoas; aprender a desfazer as mentiras da esquerda; e abrir os olhos das pessoas a sua volta”.

“Para quem está pensando em sair candidato este ano, ou mesmo futuramente, e não tem muitos recursos, vai ter um módulo específico de todo esse processo eleitoral, porque várias das vezes é aí que o candidato se enrola”, explicou Eduardo.

Intitulada Ação Conservadora, a iniciativa inclui ainda acesso a uma “comunidade de conservadores” para troca de experiência, uma formação em política e uma conversa com Eduardo e Carlos por meio de videoconferência.

A live foi gravada em Angra dos Reis (RJ), onde a família participou do lançamento da pré-candidatura de Renato Araújo (PL) à prefeitura.

Entre outros assuntos, o ex-chefe do Executivo lembrou de ações realizadas durante seu governo, como a redução de impostos, a facilitação da posse e do porte de armas e a entrega de títulos de propriedade para famílias sem-terra.

Ele ainda rebateu acusações que circulam em redes sociais de que teria relação com o assassinato da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco. Outros assuntos abordados de forma crítica foram os regimes ditatoriais da Venezuela e da Nicarágua, a operação realizada contra o deputado federal Alexandre Ramagem (PL-RJ) e as suspeitas sobre a existência de uma “Abin paralela”.

“Para quê interessava a mim saber se o senhor Gilmar Mendes estava reunido com o Ciro [Nogueira]?”, questionou, referindo-se a declarações do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, de que suspeitava estar sendo espionado.

No início da transmissão, o ex-presidente citou ainda o sistema de votação da Venezuela, onde a urna eletrônica imprime um comprovante do voto. “Nesse plebiscito que vimos há poucas semanas, que teve a iniciativa do presidente [Nicolás] Maduro, teve o voto impresso ao lado da urna eletrônica. […] E ele pegava aquele voto, ao se dirigir à urna, falava ‘olha, aqui o voto é eletrônico, mas tem o papel também, diferente de outros países’”, disse Bolsonaro.

Fonte: Gazeta do Povo – Por Célio Yano