sexta-feira, junho 21, 2024
DESTAQUEEDITORIALNOTÍCIAS

EDITORIAL

Sobre a estrada que liga Angustura a Fernando Lobo, o que falta é respeito e responsabilidade

Por Flávio Senra (*)

Menos de 12 horas após a veiculação da notícia em que foi mostrado que os “produtores rurais alemparaibanos, em especial os de Angustura, clamam pela atenção dos (ir) responsáveis pela manutenção das estradas vicinais” – https://www.jornalalemparahyba.com.br/2024/02/produtores-rurais-alemparaibanos-em-especial-os-da-regiao-de-angustura-clamam-pela-atencao-dos-ir-responsaveis-pela-manutencao-das-estradas-vicinais/, o portal-site do Jornal Além Parahyba recebeu algumas imagens, inclusive um vídeo, revelando a situação caótica em que ficou a estrada que liga a sede do distrito de Angustura até a vila de Fernando Lobo após a chuva que caiu no município na última quinta-feira (15).

É inadmissível a situação, uma tremenda falta de responsabilidade e respeito do Poder Executivo Municipal com a classe produtora não somente de Angustura, mas também de todo município que necessita não só de uma estrada decente para escoar sua produção, mas também para se locomover, buscar socorro junto a um médico ou outro profissional da área da saúde ou qualquer área profissional, adquirir produtos para a sua sobrevivência e de seus animais, mandar seus filhos para a escola ou tratar de outros afazeres domésticos e pessoais.

O vídeo que foi apresentado pelo industriário Jean, residente em Angustura e porque não salientar também pré-candidato a vereador em apoiamento ao também pré-candidato, este a prefeito, Dr. Rafael Gracioli, é revelador e autêntico, e mostra as reais condições em que se encontra aquela via pública que é margeada por inúmeras propriedades rurais cujos proprietários contribuem substancialmente através de taxas e impostos para terem uma estrada em condições para o tráfego de seus veículos automotores.

Perplexo com tal situação fico a imaginar o quanto de lixa e verniz devem ser utilizados pelos caras-de-pau que ainda defendem e ainda culpam o tempo pela situação em que se encontram não só as estradas vicinais de todo município, mas também as crateras que proliferam por todas as ruas, avenidas e outras vias públicas existentes em todos os bairros da cidade, sejam da periferia ou dos apelidados bairros nobres que nem tão nobres o são. A perplexidade aumenta ainda mais ao ter ciência de que os problemas causados pela inércia e nariz em pé desta fracassada administração são ainda maiores nas áreas da Saúde e Educação, na primeira tendo por palco maior a destruição do Hospital São Salvador devido uma intervenção que mesmo não admitindo foi certamente o maior tiro no pé que o “ilustríssimo” professor Miguelzinho desferiu em toda a sua vida pública. Com relação à Educação, basta você que nos lê fazer uma visita até o mesmo distrito de Angustura onde verificará que a construção de uma unidade de ensino naquela localidade era para estar concluída desde meados do ano passado, e como no dito popular até agora “neca de bitibiriba”. – isso, no bom Português, entendo como incompetência somada a falta de compromisso com o dinheiro público.

E onde estão os veículos de comunicação existentes no município, como emissoras de rádio, jornais e outros que nada mostram desta realidade e ficam apenas lambendo as botas do menino, como disse em certa ocasião o ex-prefeito Sergio Ribeiro, isto para não usar outro termo? Posso, com propriedade, dizer que a maioria destes veículos, se assim podem ser taxados, infelizmente estão compromissados com contratos regiamente pagos em dia pelos cofres públicos, isso sem contar aqueles que foram agraciados com um cargo qualquer dentro da atual administração.

E onde estão, também, os nobres representantes do povo na Casa do Legislativo Municipal, que pejorativamente já foi e é tratada na boca do povo por Casa da Maracutaia? Senhores e senhoras vereadores e vereadoras, fica o alerta: foi dada a partida para a corrida por uma vaga na Câmara Municipal, e pelo visto para a maioria dos senhores e senhoras a coisa está pegando! Qual de vocês pode ter a certeza de que vai ter um acolhimento digno junto ao eleitor já que este está bastante ciente de todas as suas omissões no plenário daquela Casa?

Fico a imaginar como devem estar as cabeças dos (as) pré-candidatos (as) a prefeito (a) que mesmo afirmando serem independentes por alguma razão tiveram pacto ou agora estão pactuados com o professor de Educação Física e ex-diretor de escola pública que outrora passeava diariamente e sozinho de bicicleta pelas ruas alemparaibanas e hoje somente trafega por estas mesmas ruas com os vidros de seu automóvel levantado ou acompanhado de seus apadrinhados, porque não dizer lambe-botas.

Para finalizar esse bate-papo, deixo no ar uma situação que não dá para entender por mais que tentem me explicar, como tentou um amigo próximo que ainda acredita no atual governante e sua tropa: por que a manutenção e conservação das estradas vicinais alemparaibanas estão sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente e não da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos?    

Acompanham este editorial um vídeo realizado pelo industriário Jean, residente no distrito de Angustura, e algumas imagens clicadas por este editor e de outras fontes, todas relacionadas à estrada que liga aquela centenária localidade à vila de Fernando Lobo e adjacências…

(*) Flávio Senra é o editor do Jornal Além Parahyba desde junho de 1993