sexta-feira, junho 21, 2024
DESTAQUENOTÍCIASREGIÃO

Quase 15 mil pensionistas e aposentados vão ter pagamentos suspensos

A partir de março deste ano, o benefício será suspenso para aqueles pensionistas e aposentados que não estão regularizados.

De acordo com o Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), 14.908 pensionistas e aposentados (ou afastados preliminarmente do Poder Executivo) vão ter os pagamentos suspensos. Esses indivíduos não realizaram o Censo Cadastral Previdenciário em 2023 e também não regularizaram a situação em 2024. A partir de março deste ano, o benefício estará suspenso. O nome dos indivíduos pode ser conferido no Diário Oficial do Executivo, publicado terça-feira (21).

No total, de acordo com o edital, são 11.835 aposentados e 3.073 pensionistas do Ipsemg irregulares. Para que o pagamento deste público seja restabelecido, é preciso fazer a realização extemporânea do Censo Cadastral. Isso pode ser feito através do site do Instituto, através do Censo RPPS,  que será aberto no período do início de março até o início de abril.

Há também cerca de 10 mil servidores ativos que permanecem em situação irregular, estando sujeitos a penalidades caso não façam a regularização no período disponibilizado para isso.

Censo Cadastral Previdenciário

O Censo Cadastral Previdenciário do Regime Próprio de Previdência Social de Minas Gerais (RPPS) é obrigatório e serve como atualização dos dados dos beneficiários pensionistas e aposentados. O objetivo é justamente aumentar o nível de segurança nos sistemas governamentais, para que as atividades funcionem corretamente. O primeiro Censo foi realizado entre os meses de junho a dezembro de 2023, e em janeiro de 2024 foi oferecida uma nova oportunidade para os indivíduos que não atenderam à convocação. Mesmo com a reabertura, muitos indivíduos ainda deixaram de realizar o recenseamento, o que os colocou nesta situação de perder o benefício.

Fonte: Tribuna de Minas – Por Elisabetta Mazocoli