sábado, maio 25, 2024
DESTAQUELOCAISNOTÍCIASREGIÃO

Funcionários do Hospital São Salvador continuam sem receber o salário do mês

Existem dezenas de ações da Justiça do Trabalho contra a instituição que está sob intervenção promovida pelo prefeito Miguelzinho.

A cada dia que passa a situação envolvendo o Hospital São Salvador fica mais caótica, e tudo graças a uma intervenção municipal esdrúxula decretada pelo atual prefeito de Além Paraíba, o professor Miguel Belmiro de Souza Júnior, o Miguelzinho, que na rede social é tido como o pior gestor de toda a história alemparaibana.

A instituição, que não pertence à municipalidade já que, segundo seu estatuto social, é de cunho particular sem fins lucrativos, já ao findar da tarde desta quarta-feira, 24 de abril, 15h45min, não conseguiu quitar o pagamento do mês de seus funcionários, e pelo visto não terá como honrar tal compromisso e outros, como o pagamento de dezenas de ações trabalhistas que foram impetradas pela não quitação dos ônus inerentes às demissões em massa que a Interventoria promoveu tão logo a intervenção foi decretada. Informações oficiosas relatam que somente as ações trabalhistas ultrapassam a centenas de milhares de reais.

Não bastasse esse emaranhado resultante do que é tratado no meio da população como um ato covarde do prefeito e assessores diretos devido a também não permissão, pelo provedor afastado, Dr. Rafael Gracioli, de Miguelzinho querer transformar o HSS num “palanque eleitoral” que perdurasse por anos a fio, o que se enxerga nas dependências da instituição é que ela foi transformada numa verdadeira fuzarca onde quem está no comando está mais perdida do que cego em tiroteio.

Na manhã desta quarta-feira, o Jornal Além Parahyba concedeu o sagrado Direito de Resposta à interventora Janaína dos Santos Leite que contestara parte da notícia que afirmava, na semana passada, dia 17 de abril, que o pagamento dos salários dos colaboradores da instituição não havia sido pago. Ao final da publicação do solicitado, foi indagado à interventora se este pagamento teria sido feito hoje, e até o momento nenhuma resposta positiva ou negativa foi oferecido.

Vale ressaltar, em conversa informal com alguns funcionários, a maioria dos colaboradores da instituição está sem cumprir com suas obrigações pessoais, como o pagamento do consumo de energia elétrica e água, aluguel de onde residem, etc., sem contar que já passam por dificuldades para adquirir produtos de consumo em geral para suprir as necessidades alimentares de suas famílias, o que é um absurdo.

Fazendo uma fritada em tudo ora relatado, em verdade somente pode ser dito que o sonho de Dr. Paulo Joaquim da Fonseca de transformar aquela casa em algo que de fato servisse para atender as necessidades do povo alemparaibano, acabou se transformando num gigantesco pesadelo. Em 19 de julho de 1908, o fundador da instituição mandou publicar um amplo relatório, onde disse: “Farei desta Casa um reduto de defesa à vossa saúde e dos nossos semelhantes e um templo de Amor ao próximo, onde se pratique a Caridade, essa medicina que emana do Céu, para acalmar as dores e suavizar o infortúnio dos desamparados da sorte, a Caridade que aprendemos nos ensinamentos do Evangelho, a Caridade paciente e benigna, que sabe sofrer e esperar, aureolada sempre pela cintilação da Fé”.

Hospital de Caridade em São José de Além Paraíba, com denominação jurídica Sociedade de Santa Casa de Misericórdia, nos dias atuais Hospital São Salvador: quanta luta em favor da assistência ao não e o carente povo alemparaibano para a sua conclusão, hoje transformado numa verdadeira Casa da Mãe Joana…