Brasil chega a 400 mil mortos por Covid-19 / Além Paraíba atingiu 122 óbitos

Sandro Pereira/Fotoarena/Agência O Globo | Cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Manaus

Ontem, quinta-feira (29) o Brasil bateu a marca dos 400 mil mortos pela Covid-19. Chegou a 401.186 o total de pessoas que perderam a vida para a pandemia do novo coronavírus no país. As informações são do Ministério da Saúde.

O Brasil é o segundo país com maior número de mortes pela doença. Está atrás apenas dos Estados Unidos, que tiveram mais de 570 mil óbitos por Covid-19.

Em comparação ao tamanho da população, o país está na 13ª colocação do ranking mundial, segundo levantamento da plataforma Our World in Data, do Reino Unido – que em português quer dizer “Nosso mundo em dados”.

Em relação aos casos de infecção por coronavírus, o Brasil tem pouco mais de 14,59 milhões de confirmações.

O número de pessoas que o Ministério da Saúde contabiliza como recuperadas chegou a 13,15 milhões.

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) divulgou nota lamentando o marco de 400 mil mortes. A entidade afirma que o número reflete “erros de condução e a ausência de coordenação centralizada no nível federal” – crítica feita também pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS).

Os secretários de saúde defendem ainda que a vacinação precisa ser ampliada, e uma campanha para destacar a importância das medidas de prevenção precisa ser feita.

Também ontem, quinta-feira, o ministro Marcelo Queiroga anunciou que, nos próximos seis dias, 16,8 milhões de vacinas contra Covid-19 serão distribuídas a todo o Brasil. Até ontem, foram entregues a estados e municípios 57,9 milhões de doses.

A primeira morte por Covid-19 no Brasil aconteceu no dia 12 de março, em São Paulo. De acordo com nota publicada pela Agência Brasil, a vítima foi uma mulher de 57 anos, que havia sido internada no Hospital Municipal Dr. Carmino Caricchio no dia 11 de março

Fonte: Rádio Agência Nacional

Além Paraíba atingiu 122 óbitos pela Covid-19

Segundo informações do Boletim Epidemiológico nº 391, emitido ontem (29) pela Secretaria Municipal de Saúde de Além Paraíba, os casos de coronavírus confirmados desde o início da pandemia chegou a 2.627, com 2.439 recuperados. O BE ainda mostra a existência de 658 casos suspeitos em investigação, sendo que 653 destes suspeitos estão em isolamento domiciliar.

O Hospital São Salvador, unidade hospitalar que serve de referência no combate ao coronavírus na microrregião alemparaibana, abriga 23 internados, 09 em UTI. Do total de internados, 05 são de outros municípios (Sapucaia, Estrela Dalva e Volta Grande). Infelizmente, somando aos mais de 400 mil óbitos registrados no país, Além Paraíba chora pela perda de 122 de seus moradores.

O coronavírus em Além Paraíba

O primeiro caso suspeito de coronavírus noticiado em Além Paraíba foi registrado na primeira quinzena de março do ano passado. A cidade entrou em rebuliço devido as poucas informações emitidas pelas autoridades da área da saúde, e dias depois respirou um pouco aliviada já que o caso suspeito foi avaliado como negativo.

Paulatinamente os casos foram surgindo um a um, seguidos da primeira morte, ocorrida em 21 de maio – Reinaldo Francisco Cesário Marendino, filho do saudoso ferroviário/taxista Ludovico Marendido e Messias Cesário Marendino. Naldo, como era conhecido, também apelidado pelos amigos de Merenda, foi a primeira vítima fatal do COVID-19, e estava internado no Hospital São Salvador desde o dia  24 de abril, tendo publicado uma mensagem no whatssap falando de sua internação no dia seguinte. A seguir, vieram a segunda, a terceira, e ontem foi registrada a 122ª vítima fatal alemparaibana – Pedro Paulo Louro Franco.

São perdas irreparáveis, com algumas famílias sendo praticamente aniquiladas em poucos dias, valendo ressaltar que o alerta continua sendo único, nem sempre atendido por parte da população: as aglomerações devem ser evitadas, o uso de máscaras de proteção e de álcool gel não pode ser esquecido, e as medidas médicas preventivas devem ser seguidas diariamente, em especial a seguinte – ao primeiro sintoma procure o MÉDICO!