Autoridades policiais emitem alerta para o cuidado com o golpe de extorsão através da rede social

Com o grande uso das redes sociais em tempo de Pandemia, as autoridades policiais em todos os estados do Brasil, vem alertando a população para um GOLPE que vem crescendo e muito nos últimos dias.

Em Além Paraíba-MG, há registros de pessoas que já foram vítimas desse GOLPE. 

Criminosos se passam por garotas adolescentes, ludibriam homens (principalmente comprometidos) em uma falsa paquera para, em seguida, extorqui-los. Método este, apelidado de “golpe da novinha”.

O golpe acontece da seguinte forma:

Os golpistas entram em contato com as vítimas se passando por adolescentes, usando fotos colhidas pela internet. A conversa evolui para uma paquera, com troca de fotos e vídeos íntimos. Em seguida, os golpistas entram em contato com a vítima por outro telefone. Dessa vez, eles se passam pelo “pai” da adolescente ou por um delegado de polícia ou um “advogado intermediador” e afirmam que irão denunciar o homem por aliciamento de menores.

A vítima, nessa hora, entra em desespero. É aí que os golpistas fazem a extorsão: dizem que podem deixar a denúncia de lado mediante um pagamento. Muitas pessoas já caíram nesse golpe, e por medo de ter de fato cometido um crime, parte das vítimas não chega a procurar a Polícia para denunciar os criminosos.

Há ainda golpistas que se passam por mulheres maiores de idade e ameaçam expor as conversas e fotos íntimas enviadas pelas vítimas para a família ou mesmo nas redes sociais.

Em Visconde do Rio Branco, na Zona da Mata de Minas Gerais, segundo o relato de uma vítima, a mesma conversava via whatsapp com uma pessoa identificada como Laura, e trocou alguns vídeos íntimos, e na negativa de encontrar pessoalmente com ela, quis terminar o relacionamento.

Na data de 30/06, por volta das 10h50min, uma outra pessoa identificada como Jean Pierre passou a exigir dinheiro para não divulgar os vídeos e conversas, pois a “Laura” tinha apenas 14 anos de idade. Mediante tal situação, a vitima repassou ao autor a quantia aproximada de R$ 27 mil em diversos depósitos.

Os estelionatários são pessoas que moram em outros estados, o que dificulta o avanço das investigações. Como é quase impossível chegar até essas pessoas, o alerta é para prevenir esses casos.

É importante destacar, esse tipo de “conversa” com menores de idade pode configurar crimes de aliciamento de menores ou armazenamento de pornografia infantil, caso haja troca de imagens íntimas de crianças e adolescentes.

Portanto. CUIDADO!

Fonte: Blog Adenilson Mendes