OPINIÃO – Presidente internado: Bolsonaro quer esquecer da facada, mas o corpo não deixa

Por Alexandre Garcia

Presidente Jair Bolsonaro foi internado às pressas no Hospital das Forças Armadas na manhã de quarta-feira (14).| Foto: Reprodução/Facebook

Bolsonaro internado

O presidente Jair Bolsonaro foi levado para o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde está passando por exames por causa de uma obstrução intestinal. Segundo relatos, o intestino dele deixou de funcionar há dias.

A facada que Bolsonaro recebeu de Adélio Bispo no dia 6 de setembro de 2018 causa consequências até hoje. O presidente já sofreu umas cinco a seis cirurgias por causa do atentado que sofreu. Ele tem aderências no intestino, uma hérnia e depois de ter feito uma cirurgia dentária, a sedação provocou um soluço, que passou a incomodá-lo, impedindo que ele dormisse direito por uns dez dias.

Piora esse quadro o fato de o presidente não ter bons hábitos de alimentação, toma refrigerante, come sanduíche e não tem tempo para atividade física. Fica muito ligado no trabalho, não desliga nunca e ainda tem o estresse, o esgotamento inerente à função dele.

O médico Antônio Luiz Macedo, que já operou Bolsonaro nas vezes anteriores, decidiu levá-lo de Brasília para São Paulo para investigar melhor o quadro de saúde dele.

DJ Ivis atrás das grades

Finalmente a Justiça do Ceará mandou prender o DJ Ivis, que batia na própria mulher. Até o dia em que ela gravou, em vídeo e áudio, o flagrante da agressão que sofreu diante do bebê e da mãe dela. E levantou tanta comoção nas redes sociais que a Justiça decretou a prisão preventiva dele, o que é necessário porque a partir de agora ela corre um risco ainda maior. Ele pode querer vingança, porque perdeu muita coisa da atividade profissional por causa dessa exposição.

Agora eu pergunto: quantos homens estão agredindo suas mulheres, companheiras e namoradas, e ficam impunes? Por causa da omissão, do silêncio, e voltam a agredir. A gente viu a mãe da mulher do DJ Ivis estava assistindo, e não fez nada porque provavelmente não queria interferir no casamento.

São tragédias assim que nós temos, certamente, aos milhares. Esse caso apareceu porque envolvia uma pessoa pública. Ela é arquiteta e ele, um DJ conhecido. Mas quantas mulheres se calam pensando nos filhos?Quantos homens voltam a praticar essa covardia porque não foram denunciados? E muitas vezes são denunciados, mas a Justiça não dá conta de mantê-los afastados de suas vítimas.

O silêncio de Michelle Bachelet

A senhora Michelle Bachelet, que foi presidente do Chile e hoje é alta comissária das Nações Unidas para Direitos Humanos, até agora não se manifestou sobre as violações aos direitos humanos na repressão do governo cubano contra os manifestantes que tomaram as ruas no último domingo (11).

É que é da ideologia dela, então tá valendo, aí pode. O diretor executivo da Human Rights Watch, que é uma grande ONG internacional, cobrou um posicionamento dela.

Uma dona de casa, de bebê no colo, filmou a polícia entrando à força na casa dela, baleando o marido dela e levando o marido baleado. Uma youtuber foi retirada de frente das câmeras enquanto dava uma entrevista e levada pela polícia. Há registro de mortos, baleados, feridos e de centenas de presos.

Aí eu fico pensando: aqui no Brasil tem gente que fica falando aos quatro ventos que é democrata, que luta pela democracia, que isso e aquilo, e agora está apoiando a repressão da ditadura sexagenária de Cuba.

Leia mais em: https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/alexandre-garcia/bolsonaro-quer-esquecer-da-facada-mas-o-corpo-nao-deixa/

Fonte: Gazeta do Povo