População alemparaibana, apesar das promessas formalizadas em 2011, continua sendo penalizada por serviços não prestados pela COPASA

Em 11 de novembro de 2011, durante uma audiência pública realizada na Câmara Municipal de Além Paraíba que contou com a participação do então prefeito e ex-vereador Wolney Freitas e técnicos da Companhia de Saneamento de Minas Gerais – COPASA, ficou acordado que a partir daquela data, num prazo de três anos, todo o esgoto alemparaibana seria tratado antes de ser lançado ao Rio Paraíba do Sul. À ocasião, ficou também acertado que somente após a conclusão das obras a população começaria a pagar a Taxa de Esgoto.

Em entrevista ao jornal A Cidade, que circulou em dezembro daquele ano, Wolninho salientou que aquele serviço era uma obrigatoriedade de todos os prefeitos brasileiros, tendo afirmado que o custo para o cidadão seria de 40% do valor das contas. “Mas o benefício compensa, pois com o tratamento do esgoto as famílias ficarão menos doentes e, consequentemente, gastarão menos”, disse o então prefeito ao repórter Sidinei Silva.

À ocasião, segundo os técnicos da COPPASDA, o projeto estava previsto para ser concluído em três anos e só seria cobrado quando as obras nos bairros fossem concluídas. Terminada as obras de determinado bairro, o munícipe começaria a receber a cobrança e assim sucessivamente. Segundo o então prefeito ao repórter Sidinei Silva, a COPASA havia realizado em um levantamento em que 75% da população sofreria um aumento de no máximo R$ 20,00 em suas contas, o que, segundo ele, era um valor pequeno se comparado ao benefício que seria concedido.

Hoje, passados 10 anos da audiência pública, tudo o que foi prometido pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais – COPASA não passa de balela, conversa para boi dormir, isso para não dizer que foi um assalto à mão armada no bolso da população alemparaibana. Em parte o trabalho em alguns bairros até que foi realizado, mas o esgoto de Além Paraíba continua sendo lançado in natura no Rio Paraíba do Sul, sem contar que a cobrança da Taxa de esgoto uma boa parcela da população vem pagado todos os meses.

A situação já foi discutida e cobrada junto as gestões do ex-prefeito Fernando Lúcio Ferreira Donzeles e do atual, Miguel Belmiro de Souza, que estão no seu segundo mandato, bem como na Casa do Legislativo Municipal, e até levada ao Ministério Público e o Judiciário, sem que alguma atitude seja tomada por qualquer dos órgãos citados. Aliás, quando tomaram alguma atitude estes podem até ter formalizado “cartinhas” para a COPASA; mas tudo continua, já dizia o dito popular português. “como dantes no quartel de Abrantes”.

Até quando o povo alemparaibano continuará sendo penalizado pela inoperância e desrespeito da COPASA e dos poderes constituídos no município de Além Paraíba? Com a palavra a empresa e as autoridades, todas, de Além Paraíba…