Santo Antônio do Aventureiro participa a 8ª Jornada do Patrimônio Cultural de Minas Gerais – Edição 2021

Ação é promovida pela SECULT-MG, através do IEPHA-MG, e tem por finalidade promover, valorizar e preservar o patrimônio cultural.

Vista do município de Santo Antônio do Aventureiro (Foto: SMEC)

A Secretaria Municipal de Educação de Cultura de Santo Antônio do Aventureiro, assim como outros municípios mineiros, está participando da 8ª Jornada do Patrimônio Cultural de Minas Gerais – Edição 2021, ação promovida pela Secretaria de Cultura e Turismo de Minas Gerais, a SECULT, através do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais, o IEPHA/MG, que tem por finalidade mobilizar municípios, entidades e agentes culturais para a realização de atividades que sensibilizem a sociedade para a promoção, valorização e preservação do patrimônio cultural.

A nível municipal a ação é desenvolvida pela Pasta de Educação e Cultura, que optou pelo contexto histórico e cultural aventureirense denominado “Prefeitura Municipal”, prédio que abriga a Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte, Turismo e Lazer, onde também residiu Evônio Torres, o renomado artista conhecido como Caboclo.

De característica colonial, o prédio foi construído com fins residenciais ao término do século XVIII. Segundo fontes da pesquisa, por volta do ano de 1921 o casal Carlos Reis Torres e Maria Luíza Baylet Torres mudou-se para Santo Antônio do Aventureiro, indo residir nesta casa, e junto deles estava o filho Evônio Torres, o renomado e reconhecido pintor “Caboclo”, mencionado no hino municipal.

Desde a infância, Evônio mostrava grandes talentos artísticos. Quando usava lápis de cores e papel, em casa, já chamava a atenção de todos. Aos 18 anos, matriculou-se na Faculdade de Odontologia de Ubá, onde cursou a graduação e formou-se cirurgião dentista, nunca deixando de se dedicar à pintura e os desenhos.

Constitui família com Maria dos Anjos Torres de Castro, professora de Língua Portuguesa, com quem teve quatro filhos: Ivete Antonieta, Ivonete, Carlos Lincoln e Marcílio Dias, este falecido em 22 de janeiro de 2005. Retornou a Santo Antônio do Aventureiro e residiu no povoado de Alto da Conceição, onde se dedicou à profissão de dentista até o ano de 1951, ocasião em que abandonou a carreira odontológica e passou a se dedicar completamente às Artes Plásticas.

Mudou-se com a família para a cidade mineira de Conselheiro Pena, na região do Vale do Rio Doce, onde residiu por cerca de 10 anos. Chegou a morar também nas cidades de Além Paraíba e Juiz de Fora.

O artista Caboclo produziu inúmeras obras, retratando pessoas, paisagens, sítios e fazendas, propagandas, ilustrações em manuais odontológicos, etc. Algumas de suas obras ganharam destaque e reconhecimento, como a denominada “Cristo na Guerra”, que se encontra no salão de reuniões da ONU (Organização das Nações Unidas), na cidade de Nova Iorque; o quadro da equipe de futebol do Clube de Regatas do Flamengo, que se consagrou campeão do brasileiro em 1958 e que se encontra na sede do clube carioca; e o quadro do inconfidente Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes), exposto na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte. Existem obras do pintor em diversas nações do mundo, como França, Inglaterra e Alemanha, entre outras nações.

O prédio foi oficialmente inventariado em 23 de março de 2018, e hoje é bem material cultural denominado “Prefeitura Municipal”, nele funcionando as Secretarias Municipais de Educação e Cultura, e a de Turismo, Esporte e Lazer. O prédio passou a pertencer à municipalidade no ano de 1963, como sede da Prefeitura Municipal, sob a Lei Municipal 01/1963, a partir de aquisição.

Fonte: texto da SMEC- SAA, adaptado por Flávio Senra

Fotos: Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Santo Antônio do Aventureiro (SMEC – AS) e acervos familiares