Falta de vacina contra a Febre Aftosa traz prejuízo a pecuaristas de Além Paraíba e região

Sem vacina o gado comercializado não pode ser transportado.

A segunda etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa começou em 1º de novembro e vai até o final do mês. Porém, em Além Paraíba e várias cidades da região, e em praticamente toda Minas Gerais, o imunizante não está sendo encontrado nas lojas especializadas para ser adquirido pelos produtores.

A vacinação é obrigatória para bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade. Sem as duas doses da vacina não há como transportar o animal comercializado porque não é emitida a Guia de Trânsito Animal (GTA), documento necessário para este fim. Por isso, há muito boi vendido que está parado no pasto sem poder seguir para o seu destino. Quem não está gostando nada dessa situação são os pecuaristas que amargam prejuízo, além de não terem uma previsão para a solução do problema.

A produção do imunizante é solicitada pelo Ministério de Agricultura à entidade que representa os fabricantes. Essa solicitação já contempla o volume necessário para condução das duas campanhas ao longo do ano. Por isso, em tese, não deveria ocorrer a falta de vacinas. Segundo apurou a reportagem do Site, em Além Paraíba, a previsão é de que na próxima semana algumas lojas especializadas do setor recebam um lote reduzido do imunizante.

Fontes: Site Marcelo Lopes (Cataguases), Sindicato Rural de Além Paraíba e comércio especializado alemparaibano