Após 102 dias de desaparecido, Renato de Oliveira Silva não foi encontrado até hoje, 26 de novembro

Moradores do bairro Terra do Santo acreditam que Renato possa ser mais uma vítima de assassinato. Suspeito que foi detido à ocasião foi posto em liberdade.

Renato de Oliveira da Silva, desaparecido desde o dia 17 de agosto, é suspeito de ter sido mais uma vítima de assassinato em Além Paraíba. (Foto: Rede Social)

Desaparecido desde o dia 17 de agosto, ocasião em que moradores do bairro Terra do Santo ficaram sobressaltados com vários disparos, até da data de hoje, 26 de novembro, Renato de Oliveira Silva, conhecido por “Negão”, não foi encontrado.

À ocasião do seu desaparecimento, a Polícia Militar esteve no local, onde foi constatado que a casa onde ele morava estava com a porta arrombada e havia a existência de manchas de sangue no chão, porém não foi encontrando um corpo. De posse do BO emitido pelas autoridades policiais militares, a Polícia Civil deu início à investigação do ocorrido, tendo descoberto algumas situações que resultaram na prisão de uma pessoa suspeita de estar envolvida ao fato. Segundo informações da PC, no automóvel do detido foram encontradas manchas de sangue que foram constatadas como humanas. O material foi colhido e enviado para a Polícia Técnica, em Belo Horizonte, onde foram realizados testes de DNA.

Em 25 de outubro, portanto há 31 dias, numa conversa informal entre o editor deste site de notícias e uma autoridade policial alemparaibana, esta revelou que o suspeito detido havia sido libertado já que passara o prazo de 30 dias de sua detenção provisória, valendo ressaltar que este a todo instante afirmou não ter envolvimento com o desaparecimento, possível assassinato, de Renato de Oliveira Silva.

Nesta ocasião, a mesma autoridade afirmou que o caso poderia ser elucidado caso os vestígios de sangue encontrado no local enviado para o teste de DNA fossem apontados como iguais ao do desaparecido. Como o Inquérito Policial que apura do desaparecimento está em sigilo de Justiça, não existem informações sobre os resultados do exame de DNA.

Renato pode ser a 12ª vítima de assassinato em AP em 19 meses

Caso seja confirmado como assassinato o desaparecimento de Renato de Oliveira Silva, que residia no bairro Terra do Santo, será o 12º registro desse tipo de crime em terras alemparaibanas num período de 19 meses.

A situação é bastante caótica e a comunidade se sente literalmente desprotegida diante de tantos assassinatos. A sensação de insegurança e medo virou rotina junto a população, principalmente os residentes nos bairros limítrofes da cidade. Ressalta-se, também, junto aos moradores desses bairros todo e qualquer assunto relacionado aos vários assassinatos ocorridos ocorridos viraram tabu, ou seja, ninguém se pronuncia por receio de retaliações que possam surgir.

Confiram, abaixo, os nomes das vítimas fatais dos crimes que têm abalado Além Paraíba de março do ano passado até o dias atuais, na lista incluído o nome de Renato de Oliveira Silva que teria sido alvejado e encontra-se desaparecido:

·         Geison Benedito Libânio, 22 anos, 10 de março de 2020, bairro Matadouro;

·         Bruno Teodoro Rosa (“Dirréia”), 27 anos – 21 de junho de 2020, bairro Goiabal;

·         José Matias Soares, 71 anos – 12 de setembro 2020, bairro Goiabal;

·         Mateus Teodoro Rosa Soares, 20 anos – 12 de setembro 2020, bairro Goiabal;

·         Luciano Rodrigues de Freitas – 10 de março, no bairro Goiabal;

·         Paulizim – 18 de março, na localidade de Angustura;

·         João Pedro Fernandes, 21 anos – 28 de março de 2020;

·         Guilherme José da Silva – 30 de maio, em São José;

·         Ítalo Rodrigues (“Tulu”), 17 anos– 20 de junho, proximidades da Terra do Santo;

·         Victor Rodrigues (“Zaqueu”), 25 anos – 20 de junho, proximidades da Terra do Santo;

·         Rodrigo Rezende, 33 anos – 03 de julho, Rua Carolina Maria, na Vila Caxias.

·         Renato de Oliveira da Silva (Negão) – 17 de agosto, no bairro Terra do Santo (desaparecido).