Importante parcela da população alemparaibana decide promover nesta segunda-feira (31) uma grande carreata que percorrerá as ruas da cidade em protesto contra intervenção do HSS

Utilizando por argumento principal de que o Hospital São Salvador não pertence à municipalidade alemparaibana e que o prefeito Miguelzinho deveria se preocupar em outros problemas existentes no município, como melhorar o estado em que se encontram os postos de saúde, dar um tratamento adequado às ruas da cidade que se encontram em péssimo estado de conservação, promover o mais rápido possível um aumento nos salários dos servidores públicos municipais entre outras sugestões, centenas de alemparaibanos se mobilizaram ontem, domingo (30), em rede social, e decidiram promover, nesta segunda-feira, uma manifestação em favor da retomada do Hospital São Salvador para as mãos da provedoria e direção da instituição, no caso específico ao médico Dr. Rafael Boubee Gracioli, da enfermeira Bethânia Reis de Souza, da colaboradora Jaqueline Freitas e dos membros do Conselho que foram afastados através do que trataram por “covarde intervenção municipal”.

As palavras utilizadas na rede social foram de cunho fortíssimo, mostrando a literal insatisfação da população contra o prefeito, o vice-prefeito e seus assessores, prometendo para a tarde desta segunda-feira, 31 de janeiro, a partir das 17 horas, uma gigantesca concentração de alemparaibanos na Ilha do Lazareto seguida de uma carreata que percorrerá as principais ruas da cidade em protesto ao que, como já citado anteriormente, gesto de covardia da municipalidade. Para se ter Uma idéia da insatisfação de boa parcela da população, entre os vários os termos utilizados contra prefeito, este foi chamado de “garoto mimado e pirracento”.

No entendimento de muitos, jamais foi visto da história alemparaibana uma manifestação da forma iniciada ontem, o que vem mostrar que de fato a grande maioria da população é literalmente contrária à interdição municipal promovida pelo prefeito Miguelzinho e assessores, com vários manifestantes até mesmo duvidando que o titular da cadeira do Executivo Municipal enfrentaria a população já que poderia ser recebido não somente com vaias, mas também ovos e tomates podres sendo atirados em sua direção.

As autoridades policiais já teriam sido comunicadas de que a carreata percorrerá as principais ruas da cidade, e que por hipótese alguma, nem mesmo um temporal, será cancelada.

Uma situação inusitada veio a ocorrer na rede social, ocasião em que um conhecido radialista de uma emissora de rádio da cidade que defende e bajula as determinações do Executivo Municipal ofendeu com palavras de baixo calão e ameaças várias manifestantes. Pelo que pode ser entendido ao final desta desagradável situação, os manifestantes pretendem deixar de ouvir a emissora por tempo indeterminado, o que certamente abaixará sensivelmente seus índices de audiência.