Mazaropi, campeão por Vasco e Grêmio, elogia base de Juiz de Fora e defende a disciplina

Ex-arqueiro realçou o nível de competitividade de copa disputada na cidade durante a semana, e aconselhou pais e futuros atletas; atual momento da seleção e dos clubes pelos quais passou também foram analisados.

Mazaropi no Estádio Dr. José Procópio Teixeira, do Sport Club Juiz de Fora. (Foto: Fernando Priamo)

Em meio aos sonhos de dezenas de jovens que disputaram a Copa Alta Malícia em Juiz de Fora, na última semana, estava um profissional que conquistou o Brasil, a América do Sul e o mundo, e que hoje compartilha as tantas experiências de uma vida dedicada ao futebol. Geraldo Pereira de Matos Filho, muito mais conhecido como Mazaropi, ex-goleiro de Vasco, Grêmio, Coritiba e Náutico, entre outros clubes, e da seleção brasileira, viajou com a base do Tricolor Gaúcho para Juiz de Fora, perto de sua terra natal, Além Paraíba (MG). Entre os jogos, foi convidado a passar a semana no Sport Club, onde também distribuiu simpatia e conhecimento. E foi na sede do Verdão da Avenida, na sexta-feira (28), que o ex-goleiro recebeu a Tribuna e não apenas elogiou o nível de competitividade encontrado no torneio como também aconselhou atletas e, principalmente, os pais de esportistas para a caminhada nos campos. Mazarópi ainda comentou os momentos de Grêmio e Vasco, além de diagnosticar uma “involução técnica” no futebol brasileiro.

Aos 69 anos, festejados em Juiz de Fora na quinta (27), Mazarópi é idolatrado por gremistas, onde foi campeão da Libertadores e Mundial, e vascaínos, clube pelo qual levantou o troféu do Brasileiro de 1974, entre outros títulos. O mineiro ainda ostenta o recorde mundial de tempo sem sofrer um único gol – foram 1.816 minutos, entre 1977 e 1978, quando defendia o Cruz-maltino. Hoje, ele trabalha nas divisões de base do Imortal, tendo se mostrado satisfeito com a qualidade dos jovens da cidade, observados durante a semana de competição no Esporte Clube Benfica.

Fonte: Tribuna de Minas