Lama que atingiu a Rua Cristiano Ribeiro Filho e imediações seria evitada de prefeitura tivesse feito o “dever de casa”

Dias atrás, devido a imensa quantidade de lama que invadiu suas residências, moradores da Rua Cristiano Ribeiro Filho e imediações amargaram grandes prejuízos financeiros devido “a infraestrutura de drenagem existente ser precária e não possuir capacidade de escoamento eficiente para que não ocorram alagamentos” (frase em negrito explicitada em Comunicação Interna – CI da Prefeitura Municipal de Além Paraíba citada abaixo). Infelizmente, tudo isso seria evitado se a municipalidade alemparaibana tivesse feito o “dever de casa”, o que pode ser constatado em um levantamento realizado, concluído e relatado na Comunicação Interna nº 420/2021 da Secretaria Municipal de Serviços e Obras Públicas, devidamente assinada pelo titular da referida Pasta, engenheiro Plínio José Mendes Moreira Filho, encaminhada para a advogada Deise Rodrigues Lamin, assessora jurídica da PMAP, datada de 26 de novembro do ano passado.

Na CI, que é divulgada abaixo desta reportagem com exclusividade, é apresentado um laudo técnico assinado pelo engenheiro Winston Baylet Goulart, lotado na Pasta de Serviços e Obras Públicas de Além Paraíba, mostrando o que deveria ser feito e acabou não sendo realizado pela municipalidade alemparaibana, cujo titular é o professor Miguel Belmiro de Souza Júnior, o Miguelzinho, que certamente evitaria os graves problemas que tantos prejuízos causaram aos moradores, principalmente os da Rua Cristiano Ribeiro Filho.

Ao final do laudo técnico foi ainda apresentado um orçamento para a execução dos serviços a serem realizados, totalizando R$ 442.482,10 – valendo ressaltar que o prazo para a sua execução, segundo o relato do engenheiro Winston Baylet Goulart, era de quatro meses.

As fotos apresentadas na reportagem mostram parte do prejuízo na residência da professora alemparaibana Gisele Costa, uma das atingidas pela lamaçal que atingiu a Rua Cristiano Ribeiro Filho e imediações…