Tragédia em Petrópolis completa uma semana hoje (22)

Em meio à tragédia, o domingo (20) foi marcado por um motivo de esperança: o nascimento de Ana Alice.

A tragédia na cidade serrana de Petrópolis, no Rio de Janeiro, completa hoje, terça-feira (22), uma semana, e o total de mortos já chega a 182. Entre eles, 111 mulheres, 71 homens e 32 crianças ou adolescentes. Do total, 168 foram identificados e 152 encaminhados para os serviços funerários.

O Instituto Médico Legal também recebeu sete despojos, que são fragmentos de corpos, e até a manhã de hoje, 89 pessoas ainda constavam como desaparecidas. Para facilitar a identificação dos corpos, a Polícia Civil está coletando material genético das famílias que comunicaram desaparecimentos.

A Defesa Civil municipal continua percorrendo a cidade pra identificar e vistoriar as áreas afetadas e, até agora,  registrou mais de 1300 ocorrências, a maior parte delas deslizamentos.

O trabalho de limpeza das ruas foi intensificado essa semana e as equipes agora trabalham 24 horas por dia para devolver a mobilidade do município.

A tragédia também deixou mais de 850 desabrigados que estão sendo acolhidos em 13 em pontos de apoio, montados em escolas públicas e locais alternativos, criados pelas comunidades. De acordo com anúncio feito nesta segunda-feira, essas famílias vão receber o benefício do aluguel social, no valor mensal de R$ 1000, para que possam deixar os abrigos e retomar suas vidas.

As autoridades responsáveis pela conservação do patrimônio também estão vistoriando os bens culturais e locais tombados de Petrópolis, cidade  construída ao redor da fazenda de veraneio da família real brasileira. De acordo com o Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, nenhum imóvel tombado veio abaixo, mas algumas casas com fachadas preservadas e pontos turísticos, como o Theatro Dom Pedro e o Cine Petrópolis, foram invadidos pela lama. Uma ponte histórica, próxima ao Palácio de Cristal, também teve o guarda corpo destruído e precisará ser restaurada.

Bebê nasce na tragédia

Em meio à tragédia, o nascimento de Ana Alice emociona profissionais – Foto: Camile Couto – CNN

Em meio à tragédia que já deixou 182 mortes, o domingo (20) foi marcado por um motivo de esperança: o nascimento de Ana Alice. A bebê veio ao mundo hoje em um ponto de apoio montado pela prefeitura de Petrópolis.

A mãe da bebê, Giovana Cerqueira, chegou na escola Paroquial Bom Jesus no início da manhã. Sentido dores, a jovem tinha ido falar com a mãe – que está abrigada no local.

Aos nove meses de sua segunda gestação, Giovana apresentava contrações e foi examinada pela equipe médica que atuava no ponto. Os profissionais chegaram a acionar a Defesa Civil, mas não deu tempo de chegar a ambulância.

“A bebê nasceu aqui mesmo. Foi a coisa mais emocionante que vi na vida”, contou a diretora da escola, Renata Zacharsk. “Foi um momento muito emocionante para todos aqui”, completou Zacharsk.

“Eu e a mãe dela a colocamos no chão, e eu falei: ‘faz força’. Logo já vi a cabeça da bebê, e ela nasceu. Foi lindo”, relatou a enfermeira Tatiana Jardim Costa, que participou do parto.

Após o nascimento, mãe e filha foram levadas pelo Samu para o Hospital Alcides Carneiro (HAC), em Corrêas. As duas se encontram bem.

Fonte: Agência Brasil – Tâmara Freire (Repórter da Rádio Nacional – Rio de Janeiro) / CNN