Mães denunciam falta de professores e criticam estado em que se encontram escolas públicas municipais de Além Paraíba

A Rede Social, em especial o Facebook, tem sido o veículo utilizado por várias mães de alunos da rede pública municipal alemparaibana denunciando a falta de professores e criticando o estrado em que se encontram várias escolas municipais.

As escolas mais focadas têm sido a Lafayette Côrtes, no bairro morro São Geraldo, e a Coronel Arthur Augusto de Figueiredo Côrtes, localizada na vila de Marinópolis, ambas denunciadas por falta de professores e outras situações que mostram a total incompetência e descaso por parte da titular da Pasta da Educação e assessoras diretas.

Na última quarta-feira, 06 de abril, o alvo de reportagem no site do Jornal Além Parahyba foi a Escola Municipal Lafayette Côrtes (vide link https://www.jornalalemparahyba.com.br/2022/04/06/escola-municipal-lafayete-cortes-esta-sem-professor-de-ingles-desde-o-inicio-do-ano-letivo/), que desde o início das aulas letivas não possui professor de inglês para atender seus alunos, sem contar que, além de sua estrutura física apresentar necessidades urgentes de reparos estruturais, as brigas entre alunos tem sido uma constante. “A escola está uma verdadeira zona”, salientou uma moradora vizinha ao educandário que afirma ter testemunhado vários conflitos entre alunos antes e após as aulas.

No início desta semana, foi a informação que chegou à redação deste veículo de comunicação, a única professora de inglês existente, que atendia outras três turmas, estaria se afastando por aposentadoria. Os alunos com as aulas vagas de inglês geralmente ficam na quadra de esportes aguardando a próxima aula. As turmas sem professor de inglês seriam três de 7º ano, três de 8º e outras três de 9º ano, valendo ressaltar que os pais têm procurado a direção do educandário na busca de informações e de alguma solução, entretanto, assim afirmam, a decisão final é da Secretaria Municipal da Educação, talvez nos dias de hoje mais preocupada em explicar a quantidade exorbitante de material (caibros, portais, molduras de janelas, etc.) que foi adquirida e que está sob investigação.

Já sobre a Escola Municipal Coronel Arthur Augusto de Figueiredo Côrtes, em Marinópolis, as aulas para o 1º e 2º período está literalmente prejudicada, isto porque a professora aposentou-se e até o momento tem sido substituída pela diretora do educandário. Além desta situação caótica, a escola estaria sem faxineira, o que também obriga a diretora a realizar esta função. Por mais que a diretora se esforce, salienta uma mãe que fez contato com a redação, a situação é caótica.

Outra unidade educacional que recebe críticas é a Creche do Boiadeiro, que quando inaugurada foi altamente elogiada pela população. Segundo várias mães que receberam a reportagem do lado de fora da unidade, a creche está literalmente abandonada. “É um absurdo a situação dessa creche. Aqui falta tudo, só não falta é a vergonha de nossas autoridades”, disse com revolta uma mãe que solicitou sua não identificação por receio de retaliações. “Por favor não coloque o meu nome na reportagem, pois teve uma mãe que reclamou no ano passado e neste ano acabou sendo impedida de deixar sua filha sob os cuidados das professoras”, finalizou a reclamante.

Ontem a noite, quinta-feira (05), o editor deste veículo de comunicação recebeu o telefonema de uma professora que solicitou sigilo em seu nome, relatando que a titular da Secretaria de Educação e uma de suas assessoras diretas fez contato com a direção de várias escolas municipais no sentido de que não permitam a entrada dos profissionais da imprensa alemparaibana – Flávio Senra e Adenilson Mendes – nas unidades, e caso esses insistam que chamem as autoridades policiais. À titular da Pasta, bem como sua assessora direta, vale lembrar que a imprensa, quando em trabalho, não necessita de autorização para adentrar em prédios públicos.

Finalizando, além dessas situações desastrosas, também o transporte de alunos e as merendas oferecidas aos alunos tem deixado a desejar em todo município.

EDUCAÇÃO EM ALÉM PARAÍBA: UMA VERGONHA!!!