ANEEL reajusta o preço da energia elétrica da Energisa

Novo valor está em vigor. Impacto médio para o consumidor será de 16,57%.

No Brasil alguns preços de produtos e serviços prestados à população não são definidos pelas empresas responsáveis por eles. É o caso, por exemplo, dos postos de combustíveis cujo valor de venda de seus produtos são definidos pela Petrobras, cabendo à eles apenas repassar o reajuste. Na telefonia também funciona desse jeito e com a energia elétrica é a mesma regra. No caso de Cataguases e região, atendidos pela Energisa Minas Gerais, ela obedece determinação da ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica – do governo federal, que define o índice de reajuste da energia elétrica.

Nesta terça-feira, 21 de junho, a ANEEL anunciou o reajuste no valor do quilowatt-hora da energia elétrica distribuída pela Energisa Minas Gerais. O impacto médio no bolso do consumidor será de 16,57% e entrou em vigor nesta quarta-feira, 22, para os cerca de 476 mil unidades consumidoras espalhadas pelos 66 municípios mineiros atendidos por aquela empresa. “O cenário econômico influencia diretamente o reajuste anual. Nosso esforço é sempre no sentido de ganhar eficiência para poder repassar para o cliente. Nos últimos 12 meses, o índice inflacionário avançou 11,73% (IPCA)”, explica Bernardo Athayde, gerente corporativo de regulação econômica da Energisa.

O índice foi calculado para garantir a capacidade de investimentos da Energisa e, além disso, busca corrigir o custo e a infraestrutura de transmissão, que leva a energia até a rede da empresa. “Além dos investimentos, a Energisa tem que honrar diversos compromissos, pagar a energia comprada, os salários dos seus funcionários, repor equipamentos de segurança, garantir que a frota tenha condições de deslocamento para atender as necessidades dos clientes com agilidade. Sem a análise desses custos e a correção anual da tarifa, ocorreria o sucateamento da infraestrutura e a população seria penalizada”, explica Bernardo.

Nos últimos cinco anos (de 2017 a 2021), a Energisa investiu R$ 390 milhões em Minas Gerais. Agora em 2022, a concessionária está investindo mais R$ 112 milhões. Os resultados se traduzem nos indicadores de qualidade de fornecimento, que nos últimos 5 anos estão melhorando em benefício do cliente que tem as interrupções de energia reduzidas em 25% e as durações em 20%, completa Bernardo Athayde.

Entenda sua fatura

Do valor total da sua conta de luz, 22% ficam com a Energisa que é a empresa que faz chegar a energia elétrica até você. O restante é dividido com geradoras (29%) e transmissoras (8%). Porém, a maior fatia desse bolo, quase a metade dele, é composta de encargos e tributos dos governos federal, estadual e municipal, e respondem por cerca de 41%, ou seja, de cada R$ 10 pagos pelo cliente, R$ 4 não ficam no setor elétrico. Veja a ilustração abaixo.