segunda-feira, abril 15, 2024
DESTAQUEEDITORIALNOTÍCIAS

O HSS pertence ao povo…

Por Flávio Senra (*)

Uma situação que tem sido vivenciada pela população alemparaibana e da região me fez, na noite de ontem, segunda-feira, dia 05 de dezembro, meditar com os meus botões, e não consegui chegar a nenhuma conclusão – aliás, até cheguei, mas prefiro até declinar para evitar confusões para o meu lado uma vez que já me expus demais desde que tal situação foi iniciada.

No próximo mês, parece-me que no dia 08 de janeiro de 2021, Além Paraíba sofreu um golpe, isto mesmo GOLPE!, por parte daquele que já é taxado de o pior prefeito de toda a história alemparaibana, no caso específico o professor Miguel Belmiro de Souza Júnior, que juntamente com seus assessores jurídicos decretou a interdição do Hospital São Salvador que, no meu entendimento e da maioria da população, não pertence ao município.

A questão acabou virando polêmica não somente no município, e o caso até hoje tramita no Poder Judiciário já que o Ministério Público insiste em tratar o médico Dr. Rafael Graciolli como se fosse um criminoso, talvez até como responsável pelas mortes ocorridas junto ao povo alemparaibano durante a pandemia da Covid-19. Devo salientar, não fosse Dr. Rafael e sua limitada equipe, limitada porque grande parcela dos médicos alemparaibanos se escondeu dentro de seus casulos com receio da doença que infestou a humanidade graças, é minha opinião, a China, o número de óbitos registrados em Além Paraíba seria bem maior, talvez três vezes mais.

Mas voltemos à espúria intervenção promovida pelo prefeito e equipe…

Com a intervenção que resultou na entrega, por parte de Miguelzinho, a interventores que não me melindro dizer incompetentes, a instituição particular denominada Hospital São Salvador, que durante a gestão de Dr. Rafael praticamente havia saído do atoleiro em que estava e ganhara de volta a total confiança da população alemparaibana e região, voltou a perder não somente a confiança de quem procurava por seus serviços, mas também de seus dedicados colaboradores. Estes, vale ressaltar, passaram a receber seus salários com atraso, sofrer perseguições, chegando até mesmo a buscar junto a Justiça do Trabalho ajuda para receber o que lhes era de direito. Ressalta-se ainda, o 13º salário desses colaboradores referente ao ano de 2022, acabou sendo quitado recentemente, em meados de outubro último quando obrigatoriamente deveria ter sido pago em dezembro do ano passado. Vale lembrar, o 13º salário deste ano de 2023, cuja primeira parcela obrigatoriamente como determina a Lei Trabalhista deveria ter sido pago na última quinta-feira, 30 de novembro, ainda não deu as caras, sendo que a atual interventora, de pré-nome Janaína, sequer uma satisfação deu aqueles que  

Não bastassem tamanhas aberrações, grande parte dos equipamentos que auxiliavam no atendimento daqueles que buscavam auxílio na instituição acabou sendo sucateada, a falta de medicamentos passou a ser constante, o atendimento ao público em geral declinou a um nível absurdo, enfim, as reclamações aumentaram substancialmente e a confiança acabou indo “pras cucuias”. Até papel higiênico faltou…

Diante dessas situações ora mostradas, chegamos à conclusão, apesar de não sermos juiz, de que nenhuma justificativa plausível até agora não chegou até o Judiciário que viesse a tratar o médico Dr. Rafael como fosse um criminoso, o responsável por toda e qualquer acusação que justificasse o seu afastamento da provedoria da instituição criada em 1908 pelo médico baiano Dr. Paulo Joaquim da Fonseca, que aliás foi o terceiro prefeito de Além Paraíba.

Diante de tudo isto que relatamos, queremos deixar aqui registrado apenas um questionamento ao egrégio Ministério Público sobre o que tem ocorrido naquela instituição. Por que nenhuma atitude questionando os interventores foi realizada até hoje? Por falta de denúncias acreditamos que não seja, isto porque até hoje, dia 05 de dezembro de 2023, somente este veículo de comunicação denominado Jornal Além Parahyba já expôs inúmeras aberrações lá cometidas, pelo menos umas 50 vezes.

Com todo respeito que o MP merece, devo salientar que o povo de Além Paraíba e região, bem como os colaboradores e usuários dos serviços da instituição denominada Hospital São Salvador merece uma resposta.

O HOSPITAL SÃO SALVADOR PERTENCE AO POVO E NÃO PODE SERVIR PARA MASSAGEAR O EGO DE QUEM QUER QUE SEJA, PREFEITO OU NÃO PREFEITO…

(*) Flávio Senra é o Editor do Jornal Além Parahyba desde junho de 1993