Novo marqueteiro de Lula é acusado integrar esquema de corrupção

Sidônio Palmeira está envolvido em caso de suposto enriquecimento ilícito em contrato com a Câmara de Salvador.

Palmeira assumiu recentemente como marqueteiro de Lula para as eleições de 2022 | Foto: Reprodução/Facebook

Novo responsável pelas ações de imagem da campanha de Lula à Presidência, o marqueteiro Sidônio Palmeira vai carregar ao desafio profissional uma acusação de participação em um esquema de corrupção na Bahia.

Palmeira foi escolhido há duas semanas para assumir a campanha, depois de impasse na cúpula do Partido dos Trabalhadores (PT). O publicitário é acusado de enriquecimento ilícito pelo Ministério Público da Bahia, em episódio envolvendo contrato com a Câmara de Vereadores de Salvador, conforme informa reportagem da revista Veja nesta sexta-feira, 13.

O Ministério Público baiano acusa Sidônio de participar de uma operação ilegal que desviou R$ 7,5 milhões dos cofres públicos. O publicitário é dono da Leiaute Propaganda, que em 2006 venceu licitação para prestar serviços de propaganda para a Câmara. Na época, uma auditoria do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia apontou uma série de fraudes no negócio.

O consórcio foi contratado por R$ 2 milhões para prestar serviços de publicidade, mas o valor foi sendo reajustado e chegou a R$ 7,5 milhões em poucos meses — um acréscimo de 375%.

Na defesa, o publicitário atribuiu o reajuste a uma falha na prestação de contas dos vereadores. No entanto, o MP pede desde 2018 que Sidônio devolva parte do dinheiro. A denúncia está parada há quatro anos na 5ª Vara da Fazenda Pública da Comarca de Salvador, aguardando uma manifestação do juiz sobre arquivar o caso ou transformar os suspeitos em réus.

Sidônio Palmeira trabalhou na campanha do petista Fernando Haddad nas eleições presidenciais de 2018. No entanto, o publicitário fez seu nome como marqueteiro ao participar de duas vitórias seguidas do PT em disputas pelo governo da Bahia, com Rui Costa. Agora, em 2022, o desafio será moldar imagem e discurso de Lula no embate eleitoral com o atual presidente Jair Bolsonaro.

Fonte: Revista Oeste