quarta-feira, julho 17, 2024
DESTAQUEEDITORIALNOTÍCIAS

Hoje, 1º de julho de 2024, estão faltando 183 dias para o fim do pesadelo

Por Flávio Senra (*)

Hoje, 1º de julho de 2024, faltam 183 dias para Além Paraíba se livrar, espera-se que para sempre, do pior gestor que a boa terrinha banhada pelo Rio Paraíba do Sul já teve em toda a sua história. O pesadelo, finalmente, para a maioria da população que possui consciência e não vive de puxa-saquismo, vai desaparecer como fumaça no ar, e espera-se que seu substituto seja de fato alguém que pense no desenvolvimento do município e não seja alguém que esteja ou já esteve atrelado aos mandos e desmandos vivenciados nos últimos anos. Vale ressaltar acreditamos que tal substituto muito terá que fazer para arrumar a bagunça que tomou conta de Além Paraíba, isto porque, no nosso modesto entendimento, esta foi transformada, que nos perdoem todas as Joanas, numa verdadeira Casa da Mãe Joana.

Sabemos que retaliações sobre o que pensamos serão tentadas, mas como a Carta Magna nos dá a prerrogativa de expor ideias (Liberdade de Expressão), que venham as armas e os venenos, sejam lançadas de próprio punho ou utilizando os oportunistas de sempre que vivem lambendo as botas de quem teve todas as oportunidades para entrar na história alemparaibana sob aplausos, mas, ao contrário, sai deixando a desejar.

Infelizmente, coitado de nós que somos meros coadjuvantes desta situação caótica, ele, o garoto mimado, deixa uma cidade com as ruas parecendo o solo lunar; um serviço de Saúde Pública completamente desconectado com as reais necessidades da população; obras sendo inauguradas a toque de caixa, a maioria com prazo de entrega vencido faz tempo; estradas vicinais que mostram a literal falta de compromisso com a classe produtora; um número substancial de contratados, verdadeiro cabide de emprego, sendo que boa parte destes sequer sabe qual é o seu dever de casa, etc.

Não podemos esquecer-nos de uma grave situação que será deixado como herança ao seu sucessor, no caso específico o Hospital São Salvador, que está sob intervenção da municipalidade desde o dia 07 de janeiro de 2022, uma situação inusitada nunca vista nos anais da história alemparaibana digna do total despropósito e politicamente oportunista, para não afirmar criminoso, que foi capitaneada pelo atual gestor municipal.

À ocasião do fato que sempre taxamos de esdrúxulo, sempre chamamos a atenção sobre a legitimidade de o prefeito intervir em algo que não pertence à municipalidade, como é o Hospital São Salvador, uma entidade que foi construída e fundada em 1908, com recursos financeiros originários de doações do povo alemparaibano, possuidor de um Conselho Deliberativo com poderes para eleger e destituir aqueles que escolhe para dirigir e prover. Chegamos até mesmo a versar que tal ato teve por única finalidade tomar o HSS nas mãos para tirar proveito político, já que de ciência geral que o prefeito nunca deixou de medir forças para destituir o atual provedor e encaixar seu irmão como titular da provedoria. Infelizmente, o resultado final dessa medida foi que o tiro acabou saindo pela culatra, e tudo o que havia sido realizado no sentido de melhorar a instituição foi destruído graças à inoperância dos vários interventores escolhidos pelo gestor municipal.

Fugindo desse blá-blá-blá que já levamos ao leitor por várias vezes, queremos finalizar esse nosso bate-papo informal lembrando que nos próximos dias todos os partidos políticos existentes não só em terras alemparaibanas estarão lançando oficialmente os nomes daqueles que irão disputar um cargo do Executivo e do Legislativo Municipal, mais especificamente seus candidatos a prefeito, vice e vereadores.

Em Além Paraíba temos cinco pré-candidatos a prefeito até o momento, no caso específico são os seguintes nomes:

·         Dr. Rafael Boubee Gracioli, médico, ex-provedor do Hospital São Salvador que foi afastado de sua direção graças a já citada esdrúxula intervenção municipal, que juntamente com uma meia-dúzia de colegas ficou à frente da instituição hospitalar quando o mundo foi submetido à pandemia da Covid-19;

·         Dr. Paulo Henrique Marinho Goldstein, delegado de polícia, vice-prefeito do atual prefeito Miguelzinho durante o primeiro mandato deste, ex-secretário municipal de Saúde que deixou o cargo quando a já citada pandemia tomou conta do mundo e deixou 173 vítimas fatais em nossa terra natal;

·         Luciana Galhardo, educadora, ex-secretária municipal de Educação durante a gestão do ex-prefeito Fernando Lúcio Ferreira Donzeles, que conta com o apoio informal do atual prefeito Miguelzinho;

·         Dr. Márcio Valverde, médico lotado no Programa de Saúde da Família no distrito de Influência no vizinho município de Carmo, também atendendo em unidades de saúde em Além Paraíba;

·         José Márcio Fernandes da Silva, o Dedé, atual vice-prefeito de Além Paraíba, que recentemente rompeu seus laços com o prefeito Miguel\ Belmiro de Souza Júnior.

Com relação aos pré-candidatos a vice-prefeito, apenas quatro nomes são de conhecimento público, isto porque o pré-candidato a prefeito Dedé em momento algum chegou a tornar público quem seria o seu companheiro de chapa caso venha de fato disputar de fato o cargo.

Os quatro pré-candidatos a vice-prefeito que temos conhecimento são:

·         Dr. Aldonei Senra Ribeiro Júnior, o Juninho Ribeiro, médico veterinário, parceiro de chapa com o médico Dr. Rafael Boubee Gracioli;

·         Guaraciaba Germelo de Marca, vereadora, ex-presidente da entidade Voluntárias Sociais de Além Paraíba, pré-candidata a vice de Dr. Paulo Henrique Marinho Goldstein;

·         Carlos Eduardo Gomes Senra, o Kadu, fisioterapeuta e professor na Fundação Educacional de Além Paraíba, diretor de Saúde da APAE-Além Paraíba, pré-vice de Luciana Galhardo;

·         Dra. Magali Ottero, psicóloga, diretora da empresa CVP – Centro de Vivência Psicológica, foi professora de Matemática e Física, é a pré-vice do médico Dr. Márcio Valverde.

Já sobre a disputa pelas vagas da Câmara Municipal de Além Paraíba o que podemos relatar é que, mais uma vez, esta será uma disputa bastante acirrada onde nem sempre os mais votados são eleitos graças à atual Legislação Eleitoral Brasileira. Calculamos, com base nas informações obtidas, que cerca de 100 alemparaibanos estarão disputando as 13 vagas existentes, e acredita-se que muitos dos que atualmente ocupam aquelas cadeiras correm o risco de ficar sem o seu assento.

(*) Flávio Senra é o editor do Jornal Além Parahyba desde junho de 1993.